Conficker distraiu as pessoas sobre outras ameaças reais, diz FBI

IDG News Service/EUA
24/04/2009 - 08h58
São Francisco - Ataques "menores que o esperado" do Conficker no 1º de abril causaram falsa sensação de segurança nos usuários de internet.

A grande quantidade de informações sobre o Conficker, o worm que ganhou sua segunda e “mais potente” versão no dia 1º de abril, pode ter distraído as pessoas de ameaças online reais, disse o líder de cibersegurança do FBI na quinta-feira (24/04).

”Para o público em geral, o foco estava no Conficker e está é a ameaça com a qual todos estavam preocupados. Mas há dúzias de vulnerabilidades e ameaças por aí tão perigosas quanto ele. Enquanto a mídia aumentava nossa preocupação sobre apenas esse aspecto, deveria chamar a atenção para ameaças de um modo geral”, disse Shawn Henry, diretor da Divisão de Informática da Agência Federal de Investigação dos Estados Unidos (FBI, da sigla em inglês).

Embora ninguém saiba o tamanho exato da rede worm, pesquisadores acreditam que pelo menos quatro milhões de computadores já foram infectados pelo Conficker. No entanto, existem várias outras ameaças na internet, como antivírus falsos, redes botnet e ataques phishing, muitas não divulgadas.

“Os alertas públicos são ótimos. Mas gostaria de ver a cobertura a respeito das ameaças como um todo”, opinou Henry.

Segundo o especialista, quando o 1º de abril finalmente chegou e o Conficker não causou tantos problemas quanto era esperado, foi criada nos usuários uma falsa sensação de segurança.

“Não gostaria que o público pensasse que só existe essa ameaça e que, se não virem nada acontecendo realmente, eles estão seguros”, completou.

Robert McMillan, editor do IDG News Service, dos EUA