Brasileiros já passam mais de 3 horas navegando no celular ou tablets

Da Redação
12/09/2018 - 17h41
Praticamente sete em cada dez brasileiros acessam a internet através dos dispositivos móveis, afirma executivo da Vivo

Tome nota: 140 milhões de pessoas, ou praticamente sete em cada dez brasileiros, acessam a internet através de seus smartphones e tablets. O tempo médio de navegação diária via dispositivos móveis já é de 3 horas e 34 minutos, tempo 6% maior do que em 2017. Os dados foram apresentados nesta quarta-feira, 12/9,  por Julio Tortorello, Head of Sales da Vivo Ads, durante o 6º IAB AdTech & Data, realizado pelo IAB Brasil.

Avançando rapidamente em participação dos investimentos publicitários, o mobile já é a maior mídia em  investimento publicitário no mercado americano, e caminha também no Brasil para superar o share de investimento publicitário em desktops. "Portanto, mobile já é uma mídia de massa", Até mesmo no segmento de e-commerce, em que o desktop sempre foi considerado mais amigável para o consumidor, o mobile já responde hoje por 60% do tempo de navegação. E 70% dos usuários de o e-commerce já finalizam as compras através dos dispositivos móveis, destacou Tortorello.

Nesse contexto, o varejo brasileiro quadruplicou o investimento em mídia mobile, que avança para se consolidar como a ferramenta mais completa de performance de marca, permitindo trabalhar os vários momentos da jornada do consumidor e da conversão.  “Com grande poder de atenção e formatos mais assertivos, o mobile permite que campanhas de brand lift alcancem resultados dez vezes superiores ao da média de mercado, por sua capacidade de atingir o consumidor no momento certo e na hora certa”, destacou.

"Não por acaso, o varejo brasileiro quadruplicou o investimento feito em publicidade nos dispositivos móveis no último ano", disse Tortorello.

O case do lançamento do filme Jurassic World, segundo Tortorello, é um exemplo de como utilizar bem os vários momentos que o mobile permite, como o formato de vídeo na vertical - que é menos usual, mas gera engajamento -, o uso de geolocalização e a realização de campanha de push para gerar consideração de assistir o filme.

Até mesmo a crença de que o mobile é uma mídia das gerações mais jovens tem se transformado diante da constatação de que a velocidade de adoção dos dispositivos móveis é mais rápida junto às gerações mais velhas.

Como recomendação para as marcas, Tortorello destaca a importância de não se adaptar formatos para o mobile, mas utilizar os formatos específicos, como geolocalização e aplicativos, o que permite obter resultados melhores.

"Os formatos de publicidade em vídeo nos dispositvos móveis têm uma aceitação muito grande no mercado brasileiro", disse o executivo. 

Confira, na imagem abaixo, os três formatos de anúncios em vídeo de melhor performance nos dispositivos móveis no Brasil. 

iab1

Além desta palestra, a agenda do Adtech&Data contempla temas urgentes para o mercado publicitário, tais como os impactos da nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGDP), a importância da adoção de modelos de atribuição para a definição da destinação das verbas na publicidade digital e o marketing dirigido por dados. O evento tem como patrocinadores master Adobe, Globo, UOL AD_LAB, Taboola e Spotify, e como patrocinadores ouro AppNexus, Mercado Livre, OLX e Vivo Ads.