Lenovo promete abrir as 'chaves' de seu smartphone suportado por blockchain

Por Carla Matsu, de Xangai*
15/06/2018 - 10h55
Fabricante lançou em março o que defendeu ser como 'primeiro smartphone blockchain' do mercado; Agora, empresa anuncia que publicará white paper sobre o uso da tecnologia

Há cerca de dois meses a Lenovo lançou um smartphone que defendeu ser o primeiro “telefone blockchain” do mercado, o S5. Na ocasião, o vice-presidente da fabricante, Chang Chen, disse que o objetivo era o de melhorar a segurança dos pagamentos feitos via celular, um meio que se tornou extremamente popular na China. Durante a CES Asia, que aconteceu nesta semana em Xangai, Chen subiu ao palco para falar sobre a visão da Lenovo sobre novas tecnologias, como o blockchain, e que prometem mudar a experiência móvel. E, claro, a própria Lenovo.

Chen dedicou tempo falando sobre como o smartphone se tornou peça central de nossas rotinas, com o tempo gasto dedicado a interagir com essas pequenas telas saltado nos últimos anos. Ao mesmo tempo que a plataforma atraiu e impulsionou uma série de serviços, muitos efeitos colaterais vieram. A privacidade é um deles. Chen chega a citar o escândalo do Facebook envolvendo o uso indevido de dados pela Cambridge Analytica.  “As pessoas estão preocupadas com a privacidade”, pontuou o executivo para dizer que em um mundo onde empresas parecem ser grandes vigilantes de nossos dados, a saída pode estar no Blockchain. 

“Come podemos ter certeza de que nossas informações estão salvas, seguras?”, questionou. “Começamos a pensar no blockchain como uma saída para a segurança, para ser um medidor da confiança de nossos dados”, completou. 

Na época em que lançou o S5 - um aparelho Android de entrada com chip Snapdragon 625 e duas câmeras - a Lenovo não deu muitos detalhes sobre como a nova tecnologia assegurava as informações dos usuários. Por conta desse silêncio, muito se falou na ocasião que a fabricante estava mais usando o hype do blockchain para posicionar o novo aparelho, uma jogada de marketing.

Como se quisesse dizer que não se trata de uma estratégia apenas, Chen revelou que a fabricante publicará o white paper sobre o uso do blockchain em seu smartphone e que, além de trabalhar em um ecossistema para integrar soluções a rede de blocos, lançará outros produtos em blockchain, entre eles um serviço de armazenamento distribuído até o final deste ano.

Nos planos da Lenovo para mobile, Chen ressaltou que a companhia está olhando com atenção para a tecnologia que sustenta o bitcoin e para a inteligência artificial, levando ainda em consideração as promessas do 5G (a quinta geração de telefonia móvel) e que, com tais tecnologias no horizonte, a Lenovo estará reformulando as próximas gerações de smartphones.

*Jornalista viajou a Xangai a convite da CTA (Consumer Technology Association)