Especial: tudo que você precisa saber sobre o novo Bluetooth 5

PC World / EUA
14/03/2018 - 12h51
Com foco na Internet das Coisas, novo padrão do protocolo traz alcance maior e menor uso de energia para transmissão de dados.

O Bluetooth está em todos os lugares. O que começou como uma maneira de conectar headsets estranhos transformou-se em um protocolo wireless robusto que conecta tudo, desde fones de ouvido até monitores cardíacos, wearables e estações climáticas.

A última atualização do protocolo, o Bluetooth 5, traz melhorias significativas, especialmente para modos de operação com baixa energia. Esse update tem o objetivo de preparar a tecnologia para a futura “inundação” de aparelhos IOT (Internet das Coisas), e se você tem um iPhone 8 ou X, então a nova versão já está no seu smartphone.

Confira abaixo cinco coisas que você precisa saber sobre o novo Bluetooth 5.

É apenas ‘Bluetooth 5’

As versões anteriores do Bluetooth, incluindo a 1.0, tinham um ponto decimal. Assim, você veria coisas como Bluetooth 3.0 ou Bluetooth v4.1 nas listas por aí. Mais recentemente, no update 4.0, o Bluetooth adicionou um novo protocolo de baixo consumo de energia normalmente listado como Bluetooth LE (de Low Energy, ou algo como “Baixa Energia”, em português).

Com essa nova versão do Bluetooth, o grupo SIG (special interest group), que controla a especificação, optou por simplesmente chamá-la de Bluetooth 5, sem nenhum ponto decimal ou acréscimo de “v” ou “LE” no final. Sim, o novo padrão ainda inclui o protocolo de baixa energia (e ele foi amplamente melhorado). Mas o SIG queria deixar a marca mais simples e fácil de ser entendida pelo público. 

Novo hardware

Para poder aproveitar o Bluetooth 5, você precisará de novos aparelhos que ofereçam suporte para a tecnologia. Se você tem um iPhone 8 ou X, por exemplo, então já está coberto – pelo menos no campo dos smartphones. A Apple foi uma das primeiras a lançar um aparelho compatível com o Bluetooth 5 (juntamente com a Samsung no Galaxy S8). 

Mas os aparelhos com os quais você se conecta também precisam contar com hardware compatível com o Bluetooth 5. Isso significa fones de ouvido, alto-falantes inteligentes, mouses, teclados e tudo mais com Bluetooth 5.

O Bluetooth 5 está tornando-se rapidamente o padrão nos smartphones top de linha, mas nem tanto nesses outros aparelhos citados acima. Provavelmente não veremos uma proliferação de acessórios compatíveis com Bluetooth 5 até que smartphones, tablets e laptops que suportam a nova especificação passem a ser mais comuns no mercado.

Compatibilidade reversa

A boa notícia é que os hardwares com Bluetooth 5 possuem compatibilidade reversa completa com as versões anteriores da tecnologia. Desta forma, o seu smartphone com Bluetooth 5 não terá nenhum problema para se conectar com fones, alto-falantes, smartwatches e outros aparelhos com versões anteriores do Bluetooth.  

No entanto, você não receberá nenhum dos benefícios da nova versão do Bluetooth – a conexão funcionará como se você não tivesse o Bluetooth 5 no seu dispositivo.

Alcance maior

A especificação do Bluetooth 5 permite transmissões com menor uso de energia e que sacrifiquem a taxa de dados por um maior alcance. Aliás, um alcance muito maior: até quatro vezes o alcance do anterior Bluetooth 4.2 LE, com um alcance máximo de cerca de 240 metros. Vale notar que essa é uma distância teórica. No mundo real, você pode esperar por muito menos, apesar de que ainda será uma melhoria enorme em relação às versões anteriores do Bluetooth.

É bom ter em mente que você não terá esse tipo de alcance o tempo todo e em todos os aparelhos. Os desenvolvedores escolheram de forma consciente sacrificar a largura total de banda pelo alcance. Mas isso é perfeito para muitos aparelhos de Internet das Coisas, que costumam transferir pequenas quantidades de dados e precisam alcançar uma casa inteira ou uma loja grande, por exemplo.

Maior largura de banda máxima

Além de habilidade de sacrificar a largura de banda por um alcance maior, o Bluetooth 5 também adiciona uma nova interface que consegue dobrar a largura de banda às custas da energia. Essa nova camada física (PHY) suporta velocidades de até 2MB/s e transmissões de +20dB no modo de baixa energia.

Em outras palavras, o novo Bluetooth oferece duas interfaces para operação de baixa energia: uma para transmitir menos dados por distâncias maiores, e outra para transmitir o dobro de dados, mas com um alcance menor. 

Essa é uma ótima notícia para aparelhos que precisam transmitir grandes quantidades de dados (como uma atualização de firmware) ou para aplicativos que usam muitos dados, como vídeo e áudio. 

Também significa que um dia poderemos ver fones de ouvido Bluetooth que usam a especificações de baixo consumo de energia, o que poderia aumentar significativamente a duração da bateria. Infelizmente, o Bluetooth 5 não inclui um protocolo de transmissão de áudio padrão dentro da especificação de baixa energia. Então, por enquanto os fones e headsets Bluetooth continuarão a usar os modos Bluetooth Classic que gastam mais bateria. 

Voltado para IoT

Quase todas as grandes melhorias do Bluetooth 5 são exclusivamente para o seu modo Low Energy (BLE). Introduzido inicialmente no Bluetooth 4.0 e depois melhorado nas versões v4.1 e v4.2, o LE é um protocolo totalmente separado do Bluetooth “clássico”.  

Desde o Bluetooth 4.2, o modo Bluetooth LE transmite muito menos dados do que o Bluetooth clássico, mas possui um alcance parecido, latência muito menor, e usa apenas uma fração da quantidade de energia. É por isso que ele é tão usado em aparelhos de IoT, e em qualquer lugar onde uma duração maior de bateria ou uma operação com baixo uso de energia seja chave.

O Bluetooth 5 adiciona melhorias à operação de baixa energia, além das conexões opcionais com maior largura de banda ou maior alcance. Por exemplo, o novo padrão traz um aumento significativo de oito dígitos em termos de eficiência de transmissão de dados. Isso significa, essencialmente, até oito vezes mais aparelhos conectados.

O grupo SIG imaginou casas e escritórios cheios de aparelhos iOS, e desenvolveu o Bluetooth 5 para torná-lo mais poderoso, útil e fácil de se conectar.