Hands-on: primeiras impressões sobre o novo Sony Xperia XZ2

Michael Simon, PC World / EUA
27 de fevereiro de 2018 - 12h55
Smartphone marca mudança significativa na abordagem da empresa, que finalmente adotou design moderno. Foco em entretenimento de qualidade pode ser diferencial.

O recém-anunciado Xperia XZ2 pode ser o primeiro smartphone da Sony a virar cabeças desde o Xperia Z. Aqui estava eu, segurando um aparelho com tela de 5,7 polegadas e proporção de 18:9 com bordas finas e um design curvo, todo de vidro. Se não fosse pelo nome na parte traseira, nunca teria adivinhado que era um dispositivo da Sony, e para ser honesto, não queria largá-lo mais. 

Aliás, a melhor coisa sobre o XZ2 está na parte de trás do aparelho. E não estou falando da câmera – que ainda tem uma lente única em vez do novo padrão de duas lentes presente nos top de linha mais recentes. Estou falando de algo que já é tomado como normal em qualquer smartphone lançado em 2018: um sensor de impressão digital. Pela primeira vez, um aparelho top de linha da Sony terá um sensor de digital verdadeiro (em vez apenas um sensor de escaneamento lateral um tanto estranho). 

Sensores de impressão digital não costumam fazer parte da lista de coisas que me deixam animado ao colocar as mãos em um novo smartphone. Mas no caso do Xperia XZ2, essa foi a primeira coisa que fui checar durante meu breve tempo com o dispositivo. Registrei minha impressão digital, destravei a tela algumas vezes, e testei alguns jeitos diferentes de segurar o aparelho. Posso dizer que o recurso funcionou tão bem quanto todos os outros sensores de digital de smartphone que já usei – e está bem localizado, no meio da parte traseira. E pode ser o que faltava para fazer com que os smartphones da Sony voltem a ser relevantes. 

sonyxperiaxz2destaque_625.jpg

Visual mais fino e incrível

Em torno do sensor de digital, a Sony criou um smartphone realmente lindo, com bordas curvas e uma proporção respeitável de tela para o corpo do aparelho. A tela HDR de 5,7 polegadas e 18:9 não é OLED, mas as primeiras impressões ainda foram fortes, com imagens claras e definidas e cores que “saltam” aos olhos.

As bordas ao redor do display não são tão finas quanto no Galaxy S9, por exemplo, mas ainda são uma melhoria e tanto em relação ao anterior XZ1, que teimou em continuar com aquele design datado. Honestamente, a diferença mais notável entre o XZ2 e o Pixel 2 XL ou o OnePLus 5T são os cantos mais quadrados na tela, mas eles quase não afetam o design. 

Na sua parte traseira, o Xperia XZ2 é coberto por vidro brilhante (e que reflete), que é lindo de olhar - pelo menos até que as inevitáveis marcas comecem a aparecer. Há uma simetria interessante, com a câmera, o flash e o sensor de digitais todos alinhados bem no meio do aparelho. Aliás, ficou claro que a Sony investiu uma energia considerável para que o XZ2 fosse um aparelho bonito. Ele não inova em nada em termos de design, mas também não faz feio ao lado de um produto como o S9 ou o já citado Pixel 2 XL, e isso é importante. 

sonyxperiaxz202.jpg

Entretenimento poderoso

Assim como o Galaxy S9, o Xperia XZ2 conta com o chip Snapdragon 845, da Qualcomm, o que permite que o aparelho se gabe como um dos mais rápidos do mercado. Mas velocidade não é o jogo da Sony com o XZ2. O novo smartphone quer ser o aparelho definitivo para o que a Sony faz de melhor: áudio, vídeo e fotografia. 

A tela imersiva é capaz de exibir conteúdo em HDR, mas você não precisa estar assistindo a um programa em HDR para poder aproveitar a imagem superior. A Sony faz uma conversão automática de conteúdo em SDR para qualidade HDR no XZ2, e os resultados que vi no teste traziam melhorias sutis sem estourar muito as cores. No entanto, provavelmente é uma funcionalidade que os mais puristas vão querer desabilitar, por isso seria interessante se a Sony adicionasse uma “chave” para isso nas configurações de tela.

A fabricante japonesa adicionou também alto-falantes estéreo ao XZ2 com a sua tecnologia S-Force Front Surround, que simula um som surround de 360 graus com apenas um par de alto-falantes. Não pude testar recurso de maneira completa na sala onde estava, mas o som do aparelho certamente era alto e cheio, apesar de todos ruídos no local. E, caso você não queira que os outros escutem o que estiver ouvindo ou assistindo, então precisará utilizar fones de ouvido USB-C ou Bluetooth. Isso porque o XZ2 não conta com o conector padrão de fone de ouvido de 3,5mm. No entanto, haverá um adaptador USB-C para 3,5mm na caixa do aparelho, que também contará com suporte para o codec HD Bluetooth, da Qualcomm, para qualidade superior de transmissão de áudio.

Para melhorar ainda mais o som, o XZ2 inclui um sistema proprietário da Sony chamado Dynamic Vibration System, que usa um algoritmo para adicionar haptics a filmes e games que irão fazer seu telefone tremer em determinados momentos. Não pude ver, quer dizer, sentir isso, nos testes, mas a Sony diz que o recurso funcionará de forma parecida com o DualShock presente nos controles do PlayStation, fazendo o celular tremer durante cenas intensas. 

sonyxperiaxz203.jpg

Foco em fotografia

Como fez com todos os aparelhos Xperia que vieram antes, a Sony está colocando bastante ênfase em fotografia com o XZ2. O novo smartphone possui uma lente única na traseira, mas é uma câmera impressionante de 19MP e abertura de até f/1.8, com capacidade para gravar vídeos em 4K HDR.

A fabricante também trouxe de volta o recurso Super Slo-mo para gravação em câmera (muito) lenta, a 960 fps, que tinha feito sua estreia no XZ Premium, anunciado originalmente no MWC 2017, assim como a tecnologia de Captura Preditiva (Predictive Capture), que tira uma série de fotos antes e depois de você apertar o disparador. Mas o mais interessante sobre a câmera do XZ2 é o que acontece por trás das cenas. Pela primeira vez, a Sony está usando o processador de sinal de imagens Spectrum 280, da Qualcomm, para lidar com o processamento das fotos. 

A Qualcomm diz que os aparelhos que usam o seu processador de sinal de imagem vai atingir regularmente uma pontuação de 100 no gráfico DxOMark, algo que ainda não foi alcançado por nenhum smartphone. Não pude testar a câmera do XZ2 de maneira apropriada durante meu breve tempo com o aparelho, mas as minhas expectativas são as mais altas possíveis.

O XZ2 chega ao mercado no segundo trimestre, disponível em quadro cores: preto, prata, verde e rosa. A Sony não informou quanto o aparelho irá custar. Mas se o preço for bom, o novo dispositivo pode colocar a empresa de volta no mapa dos smartphones.