Brasil negocia com SpaceX e Boeing base de lançamento de foguetes no Maranhão

Da Redação
23/02/2018 - 08h20
Base em área estratégica poderia gerar 1,5 bilhão de dólares por ano ao país e economia de combustível para empresas aeroespaciais

O governo brasileiro afirma que negocia com a SpaceX e a Boeing, entre outras empresas, o uso do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão para o lançamento de foguetes até 2021. As informações são do UOL.

Em entrevista ao portal, o major-brigadeiro Luiz Fernando Aguiar, presidente da Comissão Coordenadora de Implementação de Sistemas Espaciais da FAB (Força Aérea Brasileira), disse que não há ainda nenhuma parceria oficializada, mas que o governo conversa e negocia com várias empresas do setor aeroespacial, incluindo a SpaceX, para o uso da base em Alcântara.

A base de lançamento teria o potencial de gerar 1,5 bilhão de dólares por ano ao país, de acordo com o Ministério da Defesa. 

Localizada na região metropolitana de São Luís, Alcântara fica próxima à linha do Equador, uma localização estratégica para lançamentos espaciais. Isso porque oferece um caminho mais curto para os foguetes saírem da atmosfera e serem colocados em órbita geoestacionária. Tais condições permitem uma economia de combustível considerável, que pode chegar a 30% em relação a outros pontos de lançamento.

Em novembro do ano passado, os militares da Aeronáutica receberam uma comitiva de executivos de empresas do setor aeroespacial dos EUA. Estavam presentes representantes da Boeing, da Vector Space Sustem, Microcosm e da Lockheed Martin. Segundo o major, executivos da SpaceX cancelaram a vinda ao Brasil na última hora, pois tiveram que resolver imprevistos relacionados ao lançamento do foguete Falcon Heavy.

No início do mês, o presidente Michel Temer publicou um decreto criando o CDPEB (Comitê de Desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro). O colegiado terá como objetivo fixar, por meio de resoluções, diretrizes e metas para a potencialização do Programa Espacial Brasileiro e supervisionar a execução das medidas propostas. O comitê terá prazo de 360 dias para concluir os seus trabalhos.