Processador da Samsung pode deixar Galaxy S9 parecido com iPhone X

PC World / EUA
04 de janeiro de 2018 - 17h07
Novo chip Exynos 9 Series 9810 poderá levar recurso de detecção facial 3D para o aguardado sucessor do Galaxy S8.

Imagem: Jason Snell/Macworld dos EUA

A Samsung revelou nesta semana mais detalhes sobre o seu novo processador Exynos 9 Series 9810 que deverá estar presente no novo smartphone top de linha Galaxy S9. 

Além de melhorias significativas de velocidade, rede e processamento de imagem, o novo chip da fabricante sul-coreana permite a detecção facial 3D (3D face detection, no original em inglês), um recurso que soa muito parecido com o Face ID, do iPhone X, da Apple. 

Em um comunicado para a imprensa antes da apresentação oficial do produto na CES 2018, em Las Vegas, a Samsung destaca as novidades da segunda geraçnao do Exynos 9810 de 10 nanômetros. O chip possui uma nova arquitetura de oito núcleos, com quatro deles alcançando velocidades de até 2.9GHz (contra 2.3GHz do 8895). A fabricante alega que isso trará uma melhoria de 40% em performance.

Por que isso importa

Apesar de os chips Exynos aparecerem nos smartphones Galaxy fora dos EUA, os processadores da Samsung podem ter implicações maiores em 2018. Isso porque a empresa sul-coreana e a Qualcomm estão trabalhando em conjunto no desenvolvimento do Snapdragon 845, voltado ao mercado dos EUA. Por isso, é possível que os recursos e melhorias do Exynos 9810 também apareçam nos Galaxy S9 vendidos nos EUA com chips Snapdragon 845.

Velocidade e segurança

A Samsung diz que o novo processador “habilitará multitarefa sem costuras com carregamento e tempos de transição mais rápidos entre os mais recentes apps mobile”. Isso significa que mudar entre os aplicativos e compartilhar dados entre eles ficará significativamente mais rápido, assim como acessar menus edge e atalhos. Contudo, a Samsung diz que “a perfomance single-core será dobrada e a performance multi-core será aumentada em cerca de 40% em comparação com o antecessor”.

Para além das melhorias de velocidade, a Samsung também focou em Inteligência Artificial e machine learning com o novo chip, de forma parecida com o que a Qualcomm fez com o Snapdragon 845. A novidade que mais chama a atenção é um recurso que parece levar o escaneamento facial no estilo do Face ID para os aparelhos Galaxy, com o mesmo nível de segurança e criptografia.

“Essa tecnologia avançada permite que o processador reconheça de forma precisa pessoas ou itens em fotos para busca ou categorização rápida de imagens, ou, por meio de detecção profunda, escanear o rosto de um usuário em 3D para detecção facial híbrida. Ao utilizar hardware e software, a detecção facial híbrida permite filtros realísticos para rastreamento facial assim como maior segurança na hora de destravar o aparelho com o rosto do usuário.”

Apesar de ainda não sabermos se essa tecnologia estará presente nos novos aparelhos Galaxy S9, está claro que a Samsung está trabalhando em uma tecnologia para rivalizar com a Face ID, da Apple. O Galaxy S8 e o Note 8 já possuem biometria com reconhecimento facial, mas esse método usa o sensor 2D da câmera e pode ser facilmente enganado. Esse processo destacado acima é muito mais sofisticado e próximo do que a Apple usa com o iPhone X.

Câmeras melhores

Outros avanços do chip incluem um modem embutido LTE de 1.2Gbps, processador dedicado de sinal de imagem (ISP) e uma unidade de processamento de segurança refinada para armazenar dados biométricos. Mais especificamente, a Samsung diz que o novo ISP trará “processamento visual e de imagens mais rápido e com uso de energia mais eficiente”, assim como “estabilização avançada para imagens e vídeos com resolução até UHD, fotografia de alta resolução em tempo real fora de foco e imagens mais brilhantes em ambientes de pouca luz com redução de ruído e borrões”.

O Galaxy S9 deve ser oficialmente apresentado pela Samsung entre o final de fevereiro e início de março, talvez fazendo sua estreia no Mobile World Congress, em Barcelona.