Waymo já testa carros autônomos sem a presença de um motorista atrás do volante

Da Redação
08/11/2017 - 11h24
Desde outubro divisão da Alphabet iniciou nova fase de teste nas ruas do Arizona. Empresa convidará pessoas a usarem o serviço de táxi autônomo em breve

Carros integralmente autônomos estão um pouco mais próximos de se tornarem realidade após a Waymo, unidade de veículos autônomos da Alphabet, anunciar que seus carros já são testados sem a presença de um motorista de segurança atrás do volante nas ruas públicas de Phoenix, Arizona, desde outubro.

A notícia foi anunciada nessa terça-feira (07/11) pelo CEO da Waymo, John Krafcik, em uma conferência de tecnologia em Lisboa, Portugal. Segundo informações do The Verge, a companhia também planeja convidar pessoas para andarem nos carros nos próximos meses.

Entretanto, vale ressaltar que funcionários da Waymo ainda estão presentes no carro. Mas ao invés de se sentarem no banco do motorista, prontos para acionar os freios caso algum imprevisto aconteça, eles se sentam no banco de trás e estão preparados para apertar uma espécie de botão de emergência para parar o veículo caso algo dê errado. 

Há outros limites também. Os carros irão operar em uma área reduzida no subúrbio de Phoenix e estarão disponíveis apenas para pessoas que se candidataram para usar o serviço de táxi autônomo, anunciado pela Waymo em abril deste ano.

O Google tem desenvolvido a tecnologia que equipa os carros autônomos há cerca de oito anos. E ao atingir o chamado nível 4 de autonomia, a companhia sai à frente do restante da indústria. O The Verge lembra que desde que a Waymo se tornou uma unidade independente do Google, a companhia conseguiu avançar agressivamente os seus testes em ruas públicas e tem se mostrado consistente nos avanços tecnológicos, tendo também desenvolvido software e hardware proprietário para não depender de outros fornecedores. 

"Este é o veículo mais avançado que já desenvolvemos", disse Krafcik no evento em Lisboa. "Tudo nele foi desenhado e construído para ser integralmente autônomo. Nossa combinação de sensores poderosos dá aos nossos veículos uma visão de 360 graus do mundo. Os lasers conseguem ver objetos em três dimensões, até 300 metros de distância. Nós também temos lasers de curto alcance que se mantêm focados próximo as laterais do veículo. Nossos radares conseguem ver debaixo e ao redor dos carros, rastreando objetos em movimento que poderiam se esconder sob o olho humano", explicou o executivo. 

O próximo passo da Waymo consiste em lançar um serviço de transporte comercial, onde usuários chamariam um dos carros autônomos por meio de um aplicativo como o Uber ou Lyft.

"As pessoas se acostumarão com a nossa frota de carros sob demanda, para fazerem qualquer coisa a caminho do trabalho, para chegarem em casa ou para executar qualquer tarefa", disse Krafcik.