MCTIC quer integrar sistemas de monitoramento ao Plano Nacional de IoT

Da Redação
06 de outubro de 2017 - 17h35
Ministério prepara projeto para integrar sistemas de RFID e usar tecnologia para criar soluções em áreas como mobilidade urbana, segurança e transporte de cargas

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) prepara um projeto para integrar os sistemas de identificação e rastreamento por radiofrequência (RFID) em operação no país. A ideia é juntar essas iniciativas ao Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT) e usar a tecnologia para criar soluções em áreas como mobilidade urbana, segurança e transporte de cargas.

Na quarta-feira, 4, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, abriu a primeira reunião do grupo de trabalho que se debruça sobre o tema. Além do MCTIC, outros 12 ministérios integram o projeto.

“Todos nós no MCTIC consideramos ser muito importante a implantação desse sistema. Nossa disposição é de apoio total. Tenho certeza de que, em pouco tempo, esse projeto terá uma visibilidade muito grande”, disse.

Na primeira fase, o MCTIC vai reunir demandas e exemplos das tecnologias usadas atualmente pelas outras pastas. Em uma etapa seguinte, a implantação do sistema integrado será testada pelo Departamento de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) e pela prefeitura de Santo André (SP), como explica o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital, José Gontijo.

“Nossa ideia é pegar todas as experiências que esses órgãos têm e tentar integrá-las ao Plano de Internet das Coisas, para que a gente possa implementar no país uma eficiência no transporte de cargas e passageiros, por exemplo. Hoje, existem iniciativas isoladas de monitoramento que não se interconectam. A ideia é ter um projeto único e usar o Detran de Pernambuco e a cidade de Santo André para testar a viabilidade do projeto”, detalhou.

A iniciativa também conta com participação de duas entidades vinculadas ao MCTIC, a Ceitec, empresa pública que atua no segmento de chips de identificação automática, e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).