David contra Golias parte 3: a Quantum anuncia seus novos smartphones

Silvia Bassi
30/08/2017 - 09h56
A fabricante brasileira lança os aparelhos Quantum Sky e Quantum V, topo de linha, e vai para cima da concorrência com preço e qualidade

Bateria, memória e câmera. Quando o assunto é smartphone, isso é o que mais interessa aos brasileiros na hora de escolher seus aparelhos, diz a Quantum, empresa brasileira fabricante de dispositivos móveis, do grupo Positivo Tecnologia, que nesta terça-feira (29/08) anunciou seus novos smartphones topo de linha: o Quantum Sky e o Quantum V. 

A Quantum utilizou a pesquisa com mais de 6 mil respondentes, online, para definir os specs técnicos dos seus novos aparelhos, que começaram a ser vendidos online desde a meia-noite de hoje. Fez bem a lição de casa, e caprichou nos detalhes, apostando em inovação para diferenciar os produtos, incluindo embutir um projetor a laser para imagens de até 80 polegadas HD, com resolução de 1280 x 720 pixels, no corpo do novo Quantum V.

Quantum Sky


quantum sky frente verso

 

O Quantum Sky chega ao mercado com tela de 5,5 polegadas em vidro gorilla glass; resolução full HD; bordas curvas; gabinete em alumínio aeronáutico; 4 GB de memória RAM, 64 GB de memória de armazenamento (com 54 GB disponíveis para o usuário), câmera traseira de 13 megapixels e câmera frontal de 16 megapixels (!!), bateria de carregamento rápido com autonomia para 30 horas utilizando chamadas de voz em 3G, e 11 horas para navegação de dados ou streaming de vídeo.

A Quantum aposta na fotografia e câmera para encantar os usuários brasileiros. O Quantum Sky chega com calibração de cores para o perfil brasileiro, recursos de câmera para modo profissional e o modo Beleza Facial em selfies também adaptado para os padrões dos usuários brasileiros para a câmera frontal.

O smartphone está equipado com um processador MediaTek Helio P10, Octa-Core de 2GHz e vem com o Android 7.0 (Nougat), puro, instalado. Tem bluetooth, leitor de digital frontal integrado com o botão de iniciar, é dual SIM e pesa apenas 182 g. Preço: R$ 1.300. Quem comprar o aparelho leva junto na embalagem capa e película protetora.

"Nossa pesquisa indicou que os usuários estariam dispostos a pagar entre R$ 1,5 mil a R$ 1,9 mil por um smartphone desse tipo, mas radicalizamos e lançamos a R$ 1,3 mil", disse Vinícius Grein, head de produto e um dos fundadores da Quantum, durante a coletiva para a mídia feita na noite de terça-feira.

Projetor integrado


quantum V projetor


O smartphone Quantum V chega ao mercado com os mesmos specs do desejo indicados pela pesquisa: tela de 5,5 polegadas, full HD; memória RAM de 4 GB; memória de armazenamento interna de 64 GB; câmera traseira de 13 megapixels; bateria de longa duração e carregamento rápido. E acrescenta uma camada grande de inovação por sobre tudo isso: um projeto laser embutido no aparelho, capaz de projetar imagens de até 80 polegadas (distância de 2 metros) em modo HD (1280 x 720 pixels).

"Estávamos fascinados com a possibilidade de carregar um cinema na palma da mão. Quando a Motorola lançou seu produto [Moto Insta-Share para o Moto Z], ficamos meio chateados porque ela fez primeiro mas instigados para lançar o nosso. E aí nasceu o Quantum V, primeiro smartphone global com projetor a laser embutido", diz Grein. E por um custo muito menor que o concorrente: ele chega ao mercado em novembro, mas já pode ser adquirido na loja on-line da marca com preço sugerido de R$ 1.799. 

O Quantum V é muito leve (203 g) e fino e projetor integrado no gabinete sinaliza de fato uma grande vantagem na diferenciação, ou um risco, mas isso só o mercado e tempo vão dizer. A Quantum está de olho nas oportunidades corporativas abertas com o novo dispositivo: professores, estudantes, vendedores e executivos que podem usar a autonomia de 4 horas de projeção do aparelho (para streaming) para fazer apresentações de negócio ou aulas em qualquer lugar. 

"O Quantum V nasce como nicho, mas esperamos que com a experiência as pessoas passem a se acostumar e o produto ganhe volume e mercado maior. O preço agressivo tem tudo para que ele deixe de ser produto de nicho", diz Norberto Maraschin, VP de mobilidade e novos negócios da Positivo Tecnologia. Segundo Maraschin, as empresas estão acelerando na direção de fazer vendas para a área educacional e mercado corporativo.

A Quantum agora acelera para a internacionalização, segundo Marcelo Reis, CEO da companhia. "Crescemos 88% em vendas em 2017, entre janeiro e julho, e estamos abrindo frentes internacionais". A marca vai entrar em quatro países da América do Sul - Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai - que, segundo Reis, representam um potencial de 24 milhões de smartphones (comercializados em 2016), que é pouco mais da metade dos 45 milhões de smartphones comercializado no mercado brasileiro no mesmo ano.