Facebook planeja lançar óculos de realidade virtual sem fio em 2018

Da Redação
14 de julho de 2017 - 11h51
Aparelho representaria uma nova categoria dos headsets e custará US$ 200. Acessório será voltado a jogos imersivos, vídeos e redes sociais

O Facebook quer popularizar o seu headset de realidade virtual, o Oculus Rift, e para isso planeja lançar um aparelho que seja mais acessível no mercado. 

Segundo informações da Bloomberg, o novo headset visa preencher uma lacuna entre os modelos existentes. No caso, os headsets que transformam smartphones em reprodutores de realidade virtual (como o Samsung Gear VR, de US$ 130) e plataformas de jogos de alto padrão que são conectados a computadores de mesa, a exemplo do próprio Oculus Rift, vendido atualmente por US$ 400.

Fontes próximas ao projeto informaram à Bloomberg que o novo aparelho representará uma categoria totalmente nova, será vendido por US$ 200 e não precisará ser conectado a um PC ou smartphone. A expectativa é que ele seja lançado em 2018.

O projeto tem sido chamado de “Pacific” nos bastidores e lembra uma versão mais compacta do Rift. Segundo as fontes ouvidas pela a agência de notícias, ele será mais leve que o headset Samsung Gear VR, será voltado aos jogos imersivos, vídeos e às redes sociais.

Era 2010, quando a Oculus construiu seu primeiro protótipo do acessório. Em 2014, a Facebook adquiriu a empresa por cerca de US$ 2 bilhões.

O mercado global de headsets de realidade virtual continua ainda pequeno. Segundo a consultoria IDC, no primeiro trimestre, as fabricantes de hardware venderam 2,3 milhões desses aparelhos contra 347 milhões de smartphones. 

Entretanto, o cenário deve começar a mudar com uma nova geração de aparelhos. A Sony lançou, no ano passado, o PlayStation VR, um headset de US$ 500 que vendeu cerca de um milhão de unidades.

A HTC e a Lenovo Group, que usam o sistema operacional Daydream da Google, também trabalham em seus próprios headsets independentes e esperam lançá-los neste ano. Agora, com uma nova opção mais "em conta" do Facebook, a expectativa é que a realidade virtual possa, finalmente, se tornar um fenômeno de massa.