Brasil deve ter um smartphone por habitante até outubro

Erivelto Tadeu, Computerworld Brasil
20 de abril de 2017 - 10h28
Segundo projeção da FGV, o número atual está em 208 milhões e pode chegar a 236 milhões nos próximos três anos

O número de smartphones em uso no Brasil vai se equipar ao de habitantes em outubro, segundo projeção da 28ª Pesquisa Anual do Centro de Tecnologia de Informação Aplicada (GVcia) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP). Atualmente, o número está em 208 milhões — um aparelho por habitante — e pode chegar a 236 milhões nos próximos três anos.

O número atual de smartphones é 25% maior do que os 166 milhões de computadores (desktops, notebooks e tablets), que estão hoje nas mãos de 80% da população brasileira. Esse aumento é atribuído à ruptura provocada pelos novos aparelhos em termos de uso, compra e comportamento.

Segundo o professor Fernando Meirelles, responsável pela pesquisa, o avanço acelerado dos smartphones é resultado de uma mudança de perfil de consumo, a qual indica que, quanto mais jovem é o consumidor, maior é a adesão ao smartphone.

Ainda de acordo com a pesquisa, juntando telefones móveis e fixos, o Brasil já tem mais de um aparelho por habitante, ou 138% de penetração, percentual maior que a média global, de 115%. Nos EUA, o número é de 162%. Segundo a FGV, somando notebooks, tablets e smartphones, já́ temos 280 milhões de dispositivos móveis conectáveis à internet no Brasil, o que significa 1,4 dispositivo portátil por habitante.