Chinesa Baidu irá compartilhar tecnologia para veículos autônomos

IDG News Service
19/04/2017 - 11h10
Gigante chinesa planeja tornar open source o código de sua tecnologia em diferentes áreas relacionadas a veículos autônomos

Na expectativa de que montadoras de carros autônomos compartilhem uma plataforma em comum ao invés de elas desenvolverem uma própria do zero, a Baidu anunciou nessa terça-feira (18) que oferecerá sua tecnologia para outras montadoras, enquanto estabelece parcerias no abastecimento de componentes e de hardware.

A gigante chinesa irá oferecer uma plataforma para veículos, uma plataforma hardware, serviços de software e cloud e tornará o código open source.  Tais habilidades se estendem para percepção em obstáculos, planejamento de trajetória, controle de veículo, sistemas de operação e outras funções, assim como uma série de ferramentas de testes, disse a companhia em comunicado.

O projeto chamado Apollo, uma referência as missões americanas à Lua, poderia acelerar o desenvolvimento de carros autônomos independentemente ou fechar ainda parcerias com grandes nomes no mercado, prevenindo-se de processos judiciais como o que está em curso entre a Waymo, divisão de carros autônomos da Alphabet e a Uber.

"Um ecossistema aberto e inventivo da indústria iniciado pela Baidu irá acelerar o desenvolvimento de direção autônoma nos Estados Unidos e outros mercados automotivos", disse Qi Lu, presidente e CEO da Baidu.

Mas a ansiedade da Baidu em criar uma plataforma padrão irá depender amplamente em como parceiros aceitam o projeto.

"O que me chama atenção de imediato é a falta de parceiros que assinaram. Tornar algo open source é interessante, mas apenas se outras pessoas se unirem a você", disse Patrick Moorhead, presidente e principal analista na Moor Insights & Strategy. Esse é o desafio que a Intel e a BMW atualmente enfrentam, as duas estão tentando criar uma plataforma aberta para carros sem motorista.

Em julho do ano passado, a BMW, Intel e Mobileye disseram que trabalhariam juntas para chegar a um padrão para a indústria e definir uma plataforma aberta para a direção autônoma.

A Baidu tem testado carros autônomos na China e nos Estados Unidos. Em 2015, a companhia disse ter testado um carro integralmente autônomo em Beijing em uma rota que combinava vias em uma variedade de condições ambientais. A gigante chinesa recebeu permissão no ano passado do Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia para testar carros no estado e se associou a Nvidia para o desenvolvimento de uma plataforma para carros autônomos paras companhias na China e em outros mercados.

A Baidu planeja, inicialmente, abrir sua tecnologia de direção autônoma para ambientes controlados em julho e mais tarde irá compartilhar sua tecnologia para carros autônomos em vias urbanas em condições reais no final do ano. A expectativa é introduzir direção integralmente autônoma em estradas e vias públicas até o ano de 2020. 

Ainda não está claro como a Baidu controlará as áreas para a tecnologia de direção autônoma com o tempo. A companhia também não divulgou o quanto investiu no projeto. "Como eles farão dinheiro ainda não é claro, mas assim como o Google com a TensorFlow, eu acredito que para ter todos construindo sobre seus frameworkds de inteligência artificial ou sobre seus próprios dados eles conseguiriam monetizar de diferentes formas", disse Moorhead.

Uma representante da Baidu disse que a companhia não está ainda divulgando detalhes sobre planos de comercialização do Apollo, mas informou que "não seria errado incluir como fontes de receita, serviços como mapeamento em alta definição, serviços de nuvem, etc", acrescentou.