Uber teve prejuízo de quase US$3 bilhões em 2016

Da Redação
17/04/2017 - 12h07
Empresa privada revelou pela primeira vez os seus resultados financeiros. Companhia registrou receita global de US$6,5 bilhões no ano passado.

Após uma série de acontecimentos negativos nos últimos meses, que incluem processos, acusações de assédio, polêmicas com o CEO e saídas de executivos do alto escalão, o Uber resolveu abrir os livros para tranquilizar um pouco o mercado.

 

Apesar de não precisar revelar suas finanças publicamente, a empresa norte-americana, avaliada em certa de 70 bilhões de dólares e presente em 25 países, fez exatamente isso em uma entrevista recente para a Bloomberg, publicada no final de semana.

 

Em 2016, o Uber viu os rendimentos brutos com corridas mais do que dobrar para 20 bilhões de dólares. Com isso, o serviço registrou uma receita líquida de 6,5 bilhões de dólares, enquanto que as perdas líquidas ficaram em 2,8 bilhões de dólares, sem levar em conta sua operação na China, que foi vendida no meio do ano passado. 

 

Apenas no último trimestre do ano passado, a companhia viu os pedidos de corridas aumentarem 28%, para 6,9 bilhões de dólares, em comparação com o mesmo período do ano anterior, enquanto que a receita chegou a 2,9 bilhões de dólares (aumento de 74% em relação ao terceiro trimestre) e as perdas ficaram próximas de 1 bilhão de dólares (991 milhões de dólares, aumento de 6,1% em relação ao mesmo período de 2015).

 

No entanto, a empresa não revelou seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2017, uma vez que ainda não os apresentou para os seus investidores.

 

“Somos afortunados por termos um negócios saudável e em crescimento, que nos dá espaço para fazer as mudanças necessárias em  gerenciamento e responsabilidade, na nossa cultura e organização, e em nosso relacionamento com os motoristas”, afirmou a gerente de corridas do Uber, Rachel Holt.