Enquanto Apple e Samsung brigam, as chinesas se aproximam nos celulares

PC World / EUA
15 de fevereiro de 2017 - 18h51
Segundo a Gartner, fabricante sul-coreana deve retomar liderança do mercado de smartphones já no próximo trimestre.

A Apple superou a Samsung em vendas de smartphones pela primeira vez em dois anos - mas não conta com a empresa americana ficando à frente por muito tempo.

A Samsung comercializou 76,8 milhões de smartphones no quarto trimestre, o que lhe deu uma participação de 17,8% no mercado, um pouco menos do que os números da Apple, que vendeu 77 milhões de iPhones e obteve uma fatia de 17,9% do mercado, de acordo com informações da Gartner.

O quarto trimestre costuma ser forte para a Apple, impulsionado pelas vendas de final de ano das novas gerações de iPhones lançadas em setembro, aponta o diretor de pesquisas da Gartner, Anshul Gupta.

Para a Samsung, no entanto, o ano de 2016 terminou de uma maneira especialmente ruim, muito por conta do fiasco do Galaxy Note 7, que acabou sendo tirado de linha após um recall mal-sucedido.

Super smartphones como o Note 7 poderiam ter respondido por algo entre 10% e 15% das vendas de smartphones da Samsung no período antes do recall, explica o especialista. Mas a empresa sul-coreana perdeu mais do que isso: também houve danos contra a sua marca.

Mas as coisas podem melhorar em breve para a Samsung, uma vez que a empresa deve apresentar um novo top de linha, o Galaxy S8, entre o final de março e início de abril.

A Apple, por outro lado, deve esperar até setembro para revelar os novos iPhones, como já virou padrão. Este ano vai marcar o 10º aniversário do aparelho, e espera-se que o próximo modelo do smartphone seja algo realmente especial - por isso, os consumidores podem deixar para comprar um novo iPhone apenas quando essa aguardada versão estiver disponível. Isso deixaria a Samsung com o caminho livre para retomar a liderança no próximo trimestre.

O padrão se repetiu no ano passado: apesar de ter dominado o quarto trimestre, a Apple ficou em um segundo lugar distante ao reunir os dados de 2016 inteiro, com uma fatia de apenas 14,4%, bem atrás dos 20,5% da Samsung - e isso deve se repetir em 2017.

Chinesas chegando

Enquanto as duas gigantes brigam pelo topo, uma batalha mais interessante acontece logo abaixo delas, uma vez que as três empresas seguintes do top 5 do quarto trimestre são todas do mesmo lugar: China.

A Huawei ficou na terceira colocação com uma participação de 9,5% no mercado global de smartphones, seguida pela Oppo, com 6,2%, e a BBK Communication Equipment, com 5,6%, sendo que muitos consideram que as duas últimas companhias fazem parte do mesmo conglomerado. Apesar disso, o Gartner as trata de forma separada porque, independente da sua estrutura de ações, as duas operam de forma separada, cada uma com a suia própria equipe de produtos.

Pouco conhecida no Ocidente, a BBK é atualmente a marca número 1 de smartphones na China, de acordo com a Gartner. No entanto, há um ano a Oppo era dona desta posição - e, um ano antes disso, era a Huawei. As temporadas anteriores tiveram a Xiaomi e a Samsung liderando o mercado chinês.

Essas empresas chinesas, inclusive, expulsaram a Apple e a Samsung das primeiras posições no seu país natal, e agora estão expandindo para a região do Sul Asiático.

“Mesmo na sua expansão atual, a Oppo não está focando apenas em mercado emergentes, mas também em países desenvolvidos, como a Austrália”, aponta o analista da Gartner. Por isso, pode ser que a gente escute falar cada vez mais desses nomes.