Taxistas de SP querem adotar preço dinâmico parecido com o do Uber

Da Redação
26 de dezembro de 2016 - 19h17
Proposta foi debatida em reunião recente no Departamento de Transportes Públicos da Cidade. Preço dinâmico do Uber é alvo de críticas.

Taxistas de São Paulo querem adotar uma tarifa dinâmica, semelhante ao preço dinâmico do Uber, justamente um dos principais pontos negativos do aplicativo norte-americano. Essa chamada tarifa dinâmica varia de acordo com a oferta de carros e a demanda dos passageiros, podendo dobrar ou triplicar em momentos de grande procura por viagens no app. 

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, o assunto foi debatido recentemente em uma câmara temática sobre aplicativos realizada no Departamento de Transportes Públicos (DTP) da cidade – a próxima reunião deve acontecer apenas em março.

A medida é defendida pelo Movitaxi, uma entidade independente com taxistas de todo o país, que definem a tarifa dinâmica como “vantajosa”. “Eu sou a favor porque acredito que se a tendência do governo federal e municipal for equilibrar a concorrência, o que vai diferenciar é a qualidade. O passageiro poderá optar por pagar uma tarifa maior ou menor, conforme a vontade dele”, afirma o representante do Movitaxi, Wagner Caetano.

Vale notar que uma possível aprovação desta chamada tarifa dinâmica para táxis em SP dependeria de mudanças na legislação, algo que teria de ser feito pelo prefeito eleito João Dória, que assumirá o cargo já na próxima semana.

Em agosto deste ano, o atual prefeito Fernando Haddad unificou as tarifas de todas as categorias de táxi em São Paulo, incluindo comum, táxi preto, especial e luxo. Antes disso, em maio, Haddad publicou um decreto regulamentando o funcionamento do Uber e outros apps do tipo na cidade, medida muito criticada pelos taxistas.