Saiba como evitar problemas com o Uber neste final de ano

Da Redação
20/12/2016 - 16h30
App pode causar dores de cabeça por trazer diferenças consideráveis em relação a apps de táxi, como "preço dinâmico" e cobrança por cancelamento.

Cada vez mais conhecido no Brasil, onde atua desde maio de 2014, o Uber traz algumas diferenças importantes em relação a outras plataformas de transporte individual, como os aplicativos de táxi e até mesmo rivais diretos, como o Cabify.

Por isso mesmo, muitos novos usuários acabam enfrentando alguns problemas com o app, que possui algumas diferentes como chamado “preço dinâmico”, que pode deixar as corridas bem mais caras, e a cobrança de uma multa pelo cancelamento de corridas, medidas não adotadas por outros apps como 99Taxis e Easy Taxi.

Não por acaso, as reclamações sobre esses tópicos são dominantes entre os brasileiros, como mostra o Reclame Aqui. De acordo com o site de defesa ao consumidor, as categorias “estorno do valor pago” (1786 reclamações), “valor abusivo” (1348 reclamações) e “cobrança abusiva” (1867 reclamações) são as que mais geram reclamações sobre o Uber no país.

Cuidado com o preço dinâmico

Mais recentemente, desde outubro deste ano, o Uber passou a esconder o chamado preço dinâmico dos seus usuários. A política do aplicativo de aumentar os valores das corridas quando a demanda é maior que o número de carros disponíveis no momento do pedido incluía antes um alerta avisando do indexador do aumento ( por exemplo, 1x, 1,2x, 3x) . Agora, o aplicativo passa a exibir o preço pré-definido da corrida, já calculado e acrescido do aumento variável,  alertando apenas que “As tarifas estão mais caras por conta da demanda maior” antes que o usuário confirme ou não o pedido. Ou seja, você sabe que vai pagar a mais, mas não o quanto a mais.

Para quem não lembra, os problemas com o preço dinâmico dispararam na noite de Ano Novo de 2015 para 2016, quando muitos usuários brasileiros recorreram ao Reclame Aqui e às redes sociais para reclamar de preços mais altos no Uber. Além de possíveis erros do próprio aplicativo na cobrança, o principal motivo para esses valores maiores na noite de 31 de dezembro é mesmo o chamado preço dinâmico, que fica mais alto em situações de alta demanda, como horários de pico e datas comemorativas.

Segundo o Uber, o preço dinâmico é ajustado automaticamente por um algoritmo que leva em conta a quantidade de carros na região e o número de chamadas. O problema é que na noite de 31 de dezembro de 2015 para o primeiro dia de 2016 essa variação beirou o absurdo com cobranças de valores até 10 vezes maiores do que uma corrida normal pelo mesmo trajeto, conforme relatado nos EUA. No Brasil, os maiores casos parecem ter sido preços mais de 400% mais altos, o que também não deixa de ser surreal – imagine uma corrida de 50 reais saindo por 200 reais, preço de uma passagem de avião.

Para evitar pagar esses preços mesmo quando você precisa muito de um carro do Uber, a saída pode ser esperar um pouco até o preço voltar ao normal ou recorrer aos aplicativos rivais, como Cabify, 99 Taxis, Easy Taxi, entre outros.

Como o Uber X é mais barato do que o Uber Black, sempre costuma ter uma procura maior pelos usuários, o que pode fazer com que o preço dinâmico seja ativado mais frequentemente. Por isso, nessas situações é sempre interessante verificar se o Uber Black não está custando menos. 

Cancelamento pago

Ao contrário dos aplicativos de táxi, o Uber cobra taxa de cancelamento. Por isso, se o usuário cancelar a corrida mais de cinco minutos após ter solicitado o carro terá de pagar 8 reais, no caso do Uber X, ou 10 reais, caso do Uber Black.

Sempre confirme o valor da corrida

Os carros do Uber obviamente não contam com taxímetro e a cobrança da corrida é feita diretamente no seu cartão de crédito, sem que seja necessário o confirmar o valor e digitar os três primeiros números do CPF no celular do motorista na hora de pagar, como acontece em alguns apps de táxi. Ou seja, o passageiro não fica sabendo quanto a corrida realmente custou até que receba uma mensagem da empresa e/ou da operadora de cartão de crédito no smartphone - o app informa um valor pré-definido, que pode variar de acordo com possíveis mudanças no trajeto.

Para evitar problemas com possíveis cobranças indevidas, como o passageiro descer do carro do Uber e o motorista continuar com a sua corrida aberta, é indicado sempre confirmar o valor ao final da corrida.

Caso tenha problemas com cobranças indevidas, não hesite em procurar o Uber e sites como o Reclame Aqui, além de obviamente sempre avaliar o motorista de acordo com o que foi sua corrida. Muitas notas baixas podem significar o desligamento de um motorista do aplicativo.

Atualmente, o Uber está disponível em 39 cidades brasileiras, incluindo locais como São Paulo, Santos, Campinas, Curitiba, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Joinville, Natal, Uberaba, Uberlândia e Belo Horizonte.