Uber vende sua operação na China para a concorrente Didi Chuxing

John Ribeiro - IDG News Service
01/08/2016 - 08h14
Depois de tentar, em vão, lucrar com a operação chinesa, Uber desiste e "pega carona" na empresa chinesa, que detém 87% do mercado local

A Uber Technologies desistiu de competir na China, onde opera desde 2014 sem conseguir gerar lucro, e ao invés de continuar concorrendo com a empresa local de aplicativos de transporte Didi Chuxing, está vendendo suas operações para ela em uma operação de fusão. A informação foi divulgada nesta segunda-feira, 1 de agosto, em um post publicado pelo fundador do Uber, Travis Kalanick.

Pelo deal, a Uber China vai repassar sua operação para a Didi Chuxing e terá 20% de participação na empresa chinesa. A combinação das duas empresas, segundo estimativas de mercado, faz com que a Didi Chuxing suba seu valor de mercado para US$ 35 bilhões. O acordo também prevê que a Didi Chuxing faça um investimento de US$ 1 bilhão na Uber Global.

A Didi Chuxing é um dos unicórnios globais (empresas cujo valorização passa de US$ 1 bilhão), resultado da fusão em feveiro de 2015 de duas gigantescas startups chinesas: a Didi Dache (bancada pela Tencent) e a Kuaidi Dache (bancada pelo grupo Ali Baba) . O cofundador da Didi Chuxing, Cheng Wei, de 32 anos, e a presidente da empresa, Jean Liu, de 37 anos (filha do fundador da Lenovo, Liu Chuanzhi, e ex-diretora da Goldman Sachs), entraram recentemente para a lista da Forbes de top executivos com menos de 40 anos a serem seguidos.

Unicórnio chinês

Na lista de unicórnios globais montada pela consultoria CBInsights, a Didi é a terceira maior do mundo, com valor de mercado de US$ 28 bilhões, perdendo apenas para o Uber (1o lugar, com US$ 62 bilhões) e Xiaomi (2o lugar, com US$ 46 bilhões), e acima de AirBnB (4o lugar, com US$ 25,5 bilhões). Se a valorização com a fusão com Uber China se confirmar, a Didi Chuxing encostará ainda mais na Xiaomi.

A startup tem investimentos de empresas como Alibaba, SoftBank e Tencent. Em junho desde ano levantou mais US$ 7,3 bilhões em uma nova rodada de investimentos que incluiu a Apple como um dos participantes. A empresa de Tim Cook investiu US$ 1 bilhão na Didi Chuxing em maio. Segundo informações divulgadas pela Didi Chuxing, ela tem atualmente 14 milhões de motoristas registrados, atendendo cerca de 300 milhões de passageiros.

O aplicativo oferece um leque bastante diversificado de opções de transportes controladas por tecnologias móveis. Por dia, são 11 milhões de corridas. Em 2015, segundo dados divulgado pela Didi Chuxing, foram mais de 1,5 bilhão de corridas em 400 cidades chinesas. Comparada com a UberChina, a Didi é um gigante: em dois anos, a UberChina, segundo Travis Kalanick, conseguiu chegar a 150 milhões de corridas ao mês, menos da metade do que faz a rival mensalmente.