Irritados com ganhos baixos, motoristas do Uber prometem greve em SP

Da Redação
21/03/2016 - 11h47
Motoristas do aplicativo afirmam que ganham bem menos do que o prometido pelo aplicativo e reclamam do alto número de novos motoristas.

Alvo de críticas dos taxistas por concorrência desleal, o Uber agora está sendo criticado pelos seus próprios motoristas no Brasil, que prometem uma paralisação na próxima segunda-feira, 28/3. Como não poderia deixar de ser nos tempos atuais, a possível greve está sendo convocada por meio de grupos no WhatsApp.

De acordo com reportagens da Folha de S. Paulo e da Veja, motoristas do Uber em São Paulo e outras capitais brasileiras, como Rio de Janeiro e Brasília, estão insatisfeitos com os seus ganhos com o aplicativo, que baixou os preços das corridas em 15% no país em novembro de 2015.

“O Uber vendeu um sonho em que os motoristas tiravam 7 mil reais por mês. Hoje não dá para tirar 2 mil reais”, reclama o presidente da associação dos motoristas do Uber, Nelson Bazolli, em entrevista à Folha. Vale lembrar que o Uber fica com 25% do valor das corridas feitas pelo Uber X, modalidade mais barata, e 20% do Uber Black, categoria de luxo com preços maiores e carros mais caros.

Outra reclamação é sobre um suposto alto número de novos motoristas do Uber nas ruas, que estaria causando uma baixa na demanda por corridas.

Por isso mesmo, as reivindicações do grupo que organiza a paralisação incluem um aumento de 20% nas tarifas e um controle maior na entrada de novos motoristas, que também pode ser entendida como a criação de uma “reserva de mercado”.

Com a possível greve no dia seguinte à Páscoa, no entanto, os maiores prejudicados devem ser os consumidores. Isso porque, quando a demanda fica mais alta, o Uber aplica o chamado “preço dinâmico”, que pode fazer uma corrida ficar bem mais cara do que o normal, o que causou muitas reclamações no Brasil e nos EUA no Ano Novo, por exemplo.

Atualmente o Uber está presente em nove cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte, Campinas, Recife, Curitiba e Goiânia. O aplicativo promete ganhos entre 4.300 reais e 7 mil reais por mês para os motoristas no Brasil, dependendo da categoria em que atuem e da quantidade de horas de trabalho.

Posição do Uber

Procurada pela nossa reportagem, a assessoria do Uber divulgou a seguinte nota sobre o assunto.

Nosso objetivo é oferecer mais uma opção confiável e acessível para as pessoas se movimentarem pela cidade, e ao mesmo tempo oferecer aos nossos parceiros uma maneira cada vez mais eficiente de apertar um botão e gerar renda.

Os motoristas parceiros continuam ganhando a mesma porcentagem (80% para UberBLACK e 75% para uberX) do valor pago pelos usuários por cada viagem que realizam pelo aplicativo. 

Com base em dados das mais de 400 cidades nas quais atuamos, verificamos que ao reduzir os preços, temos como resultado o aumento da demanda por carros. Com isso os motoristas parceiros farão ainda mais viagens e continuam gerando tanta renda quanto antes, chegando até a ganhar mais. O aumento na demanda significa que os parceiros passam a fazer mais viagens por hora e ficam menos tempo rodando entre uma viagem e outra.”