Usuário de smartphone vai gastar média de 8,5GB por mês em 2021

Luiz Mazetto
18 de fevereiro de 2016 - 13h29
Segundo estudo da Ericsson, consumo médio mensal de dados móveis no mundo subirá de 1,4GB para 8,5GB nos próximos cinco anos. Vídeo é o principal "culpado".

Já muito presentes no mundo atual, os smartphones ficarão mais e mais comuns em um futuro próximo e devem alcançar a marca de 6,4 bilhões de assinaturas em 2021, de acordo com a mais recente edição do Mobily Report, da Ericsson. Segundo o relatório da empresa sueca, o mercado vai ganhar aproximadamente 3 bilhões de novas assinaturas de celulares inteligentes nos próximos cinco anos, que, somadas às 3,4 bilhões de assinaturas já existentes, resultam no número acima.   

Já o número de assinaturas móveis, que incluem smartphones e outros gadgets mobile, vai passar de 7,3 bilhões, em 2015, para cerca de 9,1 bilhões até o final de 2021, aponta o documento.

Vídeos e dados móveis

Além do aumento no número de aparelhos, a Ericsson destaca que teremos uma disparada no consumo de dados móveis em smartphones nessa próxima meia década. O vídeo é apontado pela empresa como o maior “culpado” por esse aumento significativo. Para se ter uma ideia, o consumo médio mundial mensal de dados no smartphone vai passar de 1,4GB, em 2015, para 8,5GB em 2021. 

“Essa dúvida que tínhamos há alguns anos atrás não existe mais. Hoje sabemos que o vídeo vai ser o principal fator para esse aumento. Dependendo do país, o vídeo responde por entre 50% e 70% do tráfego móvel”, explica diretor de Marketing da Ericsson na América Latina, Jesper Rhode.

De acordo com o executivo, esse aumento significativo está muito relacionado com o 4G, já que a reprodução de vídeos nos smartphones é maior nos países que já contam com esse tipo de conectividade. Na América Latina, cerca de 50% dos usuários de smartphones possuem 3G ou 4G; esse número subirá para 90% em 2021, um desafio e tanto para as empresas de infraestrutura de rede e para as operadoras.

Redes sociais

 

A Ericsson aponta ainda que o uso de redes sociais pelo smartphone deve gerar um tráfego em torno de 180 ExaBytes nos próximos seis anos – esse número  é comparável a todas as pessoas no mundo gastando cerca de 35 minutos em mídia social todos os dias ou a um total de mais de 200 bilhões de fotos visualizadas todos os dias, aponta a empresa.