Taxistas franceses promovem greve e quebra-quebra contra Uber em Paris

Da Redação
26 de janeiro de 2016 - 12h22
Sindicatos de táxis do país alegam que aplicativos de caronas fizeram seus rendimentos caírem em até 40% e reclamam de concorrência desleal.

Os sindicatos de taxistas da França voltaram a promover greves e quebra-quebra na cidade de Paris contra a presença do Uber e outros serviços parecidos no país. De acordo com o The Verge, a paralisação dos motoristas de táxi deixou a capital francesa na manhã desta terça-feira, 26/1, em estado de atenção.

Além de atrapalharem o trânsito em ambos os sentidos dos dois principais aeroportos da cidade, os taxistas também queimaram pneus em uma via movimentada e acabaram entrando em confronto com a polícia local, que diz ter feito 20 prisões até o fechamento da reportagem.

Os sindicatos reclamam que o governo francês não cumprem uma lei que prometia uma concorrência justa entre táxis e os chamados VTC (veículos licenciados para turismo, categoria em que o Uber e outros se enquadram).

“A lei nunca foi empregada, e pensamos que não pode ser executada. Por isso, estamos pedindo a eliminação dos VTCs (voitures de tourisme avec chauffeur), pura e simplesmente, ou compensação” para licenças de táxi, afirmou o secretário do CGT Taxis, Mohammed Khamedi, um dos sindicatos por trás da manifestação.

Ele afirma que os rendimentos dos taxistas da cidade caíram em até 40% por conta do aumento de aplicativos como o Uber.