Google prevê Projeto Tango em drones e robôs

IDG News Service
13/01/2016 - 11h09
Plataforma de visão computacional poderia ser usada em diversos dispositivos que precisam de recursos sofisticados em visualização e localização

O Google quer estender sua plataforma de visão computacional Projeto Tango além de telefones e tablets para robôs, drones e outros dispositivos. 

“Há um grande potencial aí”, disse Eitan Marder-Eppstein, que lidera a equipe de desenvolvimento, relações e engenharia para o Projeto Tango no Google, durante um discurso no Ubiquity Developer Summit, que acontece essa semana em São Francisco. 

Isso significa que dispositivos podem adquirir uma grande riqueza de informações sobre localizações e objetos com o Projeto Tango, que é uma plataforma hardware e software. Smartphones e tablets conseguem medir distâncias, reconhecer itens, criar modelos de objetos 3D, e localizações em mapas. Informações relevantes são mostradas em tempo real na tela.

Há um grande interesse no Projeto Tango por empresas que fabricam quadrotores, que são drones com quatro rotores, disse Marder-Eppstein. O Projeto Tango poderia ser usado em dispositivos focados em visualização e localização. 

“Nós estamos focando no setor de smartphones para abaixar o custo de sensores e tornar a tecnologia mais ubíqua”, disse Marder-Epstein.

O Projeto Tango ganhou impulso na última semana durante a CES. A Lenovo e Google anunciaram um smartphone com base no Projeto Tango, que começará a ser vendido mundialmente no meio desse ano com valor abaixo dos US$ 500. já a Intel anunciou um smartphone com câmera RealSense 3D que também suporta o kit de desenvolvimento de software RealSense. Os dispositivos usam câmeras especiais e sensores. 

De muitas formas, o Tango melhora muitas das habilidades fundamentais que já existem em smartphones. O Projeto permite que um dispositivo móvel não só mapeie espaços interiores - descobrir onde os andares, paredes, tetos e móveis estão -, mas também conhecer a localização do dispositivo dentro desse espaço e sua orientação.  

Pense no Tango como uma plataforma que transforma um smartphone tanto em um dispositivo Kinect quanto num controle remoto Wii, ambos trabalhando ao mesmo tempo. (Isso sugere imediatamente o uso de seu próprio smartphone como um periférico universal para jogos de vídeo console.)  

A gama de aplicações do Tango é de tirar o fôlego. Para começar, ele possibilita a mistura de realidade mista e realidade virtual via Google Cardboard. Imagine um jogo de VR onde as paredes do castelo ou árvores de uma floresta são, na verdade, as paredes da sua casa e móveis. Então, andando ao redor de objetos virtuais significa que você anda em torno de objetos reais. 

Você pode verificar a forma como um móvel ficaria em sua casa antes de comprá-lo. Você também pode imaginar um aplicativo para fotos que utiliza a percepção de profundidade do Tango e medição de distância para simular profundidade de campo ao tirar fotos.

Testes do Projeto Tango já acontecem em lojas onde usuários conseguem direções dentro delas. 

“Nós realmente pensamos que experiências baseadas em localização e navegação são um dos pilares que exploraremos para essa tecnologia”, disse Marder-Epstein.