Como o Projeto Tango do Google poderá mudar a sua vida

Mike Elgan | Computerworld (EUA)
04/01/2016 - 16h02
Plataforma habilitada por uma série de sensores tem como objetivo dar a smartphones e tablets uma noção de espaço
O Projeto Tango é uma plataforma do Google que tem como objetivo dar a smartphones e tablets uma noção de espaço. Atualmente, o seu telefone não consegue fazer isso. Ainda. Mas é provável que nessa mesma época no ano que vem, ele conseguirá. 
 
E eu amo momentos como esse - uma tecnologia fundamental está pronta para mudar o que pessoas fazem todos os dias e como elas fazem, mas ainda o público geral se mantém alheio sobre o que está por vir. Mas tal condição está prestes a mudar.
 
A CES, feira internacional de eletrônicos que acontece essa semana em Las Vegas, trará maior consciência sobre o Projeto Tango. E eu detalho abaixo o que acontecerá nessa semana. Mas antes, vamos entender melhor o que é o tal projeto. 
 
De onde vem o Tango 
 
Direcionado pelo ex-funcionário do Microsoft Kinect, Johnny Lee, o projeto Tango está há anos sendo desenvolvido. Na verdade, o projeto é um exemplo típico de como fazer a transição de uma ideia para o mainstream do consumidor. 
 
O Tango é parte do grupo do Google - Advanced Technology and Projects (ATAP), que é o setor de Pesquisa & Desenvolvimento que o Google comprou como parte da aquisição da Motorola - e não inclui como parte da venda da Motorola para Lenovo. 
 
O ATAP é comandado pela ex-chefe do DARPA, Regina Dugan, uma mulher com forte experiência ao trazer ideias, aparentemente distantes, para o uso diário. O grupo está trabalhando em projetos futuristas como tecidos inteligentes de baixo custo (Projeto Jacquard), autenticação automática sem senhas (Project Abacus) e o telefone modular (Project Ara) e outros. 
 
O Google direcionou os esforços do Tango ao criar protótipos de dispositivos há dois anos: o telefone Peanut e o tablet Yellowstone. Ambos foram criados para demonstrações e desenvolvedores. 
 
No verão passado, as gigantes em chips Qualcomm e Intel anunciaram dispositivos referência para o Projeto Tango com foco em desenvolvedores para programarem usando seus respectivos chipsets.
 
Tecnologia Tango e o que ela faz 
 
O projeto funciona através da combinação de entradas a partir de uma variedade de sensores, processando-os em informação útil de uma forma muito, muito rápida. 
 
Estes sensores incluem uma espécie de emissor infravermelho de radar e câmera infravermelha, que capta a luz refletida enquanto uma câmera grande angular acrescenta pistas visuais sobre a localização do contexto. 
 
O sistema de Tango também depende de acelerômetros, giroscópios extremamente precisos e barómetros. O Google oferece três APIs - uma para os desenvolvedores de jogos, outra para usar Java para integrar o Tango em aplicativos, e outra para apps que têm o seu próprio motor de visualização. 
 
A gigante já fez todo o trabalho duro para permitir que a plataforma trabalhe da maneira que foi criada. Os desenvolvedores e fabricantes de hardware precisam apenas apoiá-la. E eles estão. 
 
Tudo começa esta semana 
 
A Lenovo deve anunciar na próxima quinta-feira (7) durante a CES uma nova linha de produtos baseados na tecnologia Tango. Isso é interessante, em parte, porque a Lenovo possui agora a Motorola, que - de certa forma - é a empresa que iniciou o projeto Tango. 
 
É possível que as equipes de engenharia para telefone e tablet da Motorola tenham trabalhado na integração do Tango por anos. Até então, a lista de empresas que trabalham em projetos de referência ou produtos comerciais baseados na tecnologia Tango incluem as mencionadas Qualcomm e Intel, bem como Nvidia e LG. É razoável supor que o Google esteja trabalhando em produtos Tango, bem como, possivelmente, dispositivos Nexus. Eu acredito que todas essas empresas anunciarão produtos movidos pelo Tango ainda neste ano. 
 
Para que serve esse tal Tango, afinal? 
 
De muitas formas, o Tango melhora muitas das habilidades fundamentais que já existem em smartphones. O Projeto permite que um dispositivo móvel não só mapeie espaços interiores - descobrir onde os andares, paredes, tetos e móveis estão -, mas também conhecer a localização do dispositivo dentro desse espaço e sua orientação. 
 
Pense no Tango como uma plataforma que transforma um smartphone tanto em um dispositivo Kinect quanto num controle remoto Wii, ambos trabalhando ao mesmo tempo. (Isso sugere imediatamente o uso de seu próprio smartphone como um periférico universal para jogos de vídeo console.) 
 
Os sensores em seu smartphone já podem detectar orientação com base no movimento. Mas estes estão sujeitos à "deriva", porque são estimativas com base no movimento do próprio telefone. 
 
O Tango consegue, constantemente, orientar o telefone para seus arredores reais com maior precisão. Outra coisa, beacons podem rastrear a localização interior - aproximadamente. O telefone pode dizer o quão longe é a partir de um beacon em um local conhecido. 
 
O projeto atualizada a capacidade não apenas fornecendo a localização interior, onde ninguém se preocupou em colocar um beacon, mas também na localização interior mais precisa. Isso significa que ele pode “ver” a porta, as escadas e o vaso de flores e descobrir onde ele está dentro de um edifício. Então, se você fosse "marcar" um ponto dentro de uma sala dentro de um aplicativo para ser encontrado por outra pessoa, a próxima pessoa poderia não só identificar a área geral, mas o local exato. 
 
Se um aplicativo de uma loja quiser fornecer informações sobre produtos em uma prateleira, ele pode fornecê-las para o produto diretamente em sua frente, e não para o produto um palmo a sua direita.
 
Um smartphone ou tablet habilitado com Tango poderia substituir uma fita métrica. Você poderia medir o tamanho de uma tela de TV, tocando em um canto, depois tocando no canto diagonal e, em seguida, obter o tamanho da tela. Ou você pode medir o tamanho de qualquer pessoa - ou qualquer coisa. Ou você poderia usá-lo em um drone para certificar-se que ele nunca baterá em árvores, edifícios ou pessoas.
 
A gama de aplicações do Tango é de tirar o fôlego. Para começar, ele possibilita a mistura de realidade mista e realidade virtual via Google Cardboard. Imagine um jogo de VR onde as paredes do castelo ou árvores de uma floresta são, na verdade, as paredes da sua casa e móveis. Então, andando ao redor de objetos virtuais significa que você anda em torno de objetos reais.
 
Você pode verificar a forma como um móvel ficaria em sua casa antes de comprá-lo. Você também pode imaginar um aplicativo para fotos que utiliza a percepção de profundidade do Tango e medição de distância para simular profundidade de campo ao tirar fotos.
 
Estas são apenas algumas aplicações já imaginadas. Uma vez que a tecnologia for construída em um grande número de dispositivos, é imprevisível o que a imaginação de inúmeros desenvolvedores de aplicativos poderá proporcionar.