Usuários do Uber reclamam de preços até 10 vezes maiores no Ano Novo

Luiz Mazetto
02/01/2016 - 11h08
Consumidores do Brasil e dos EUA se irritaram com cobranças do chamado "preço dinâmico", que o app adota em situações de maior demanda.

Nem tudo foi motivo de comemoração neste Ano novo. Usuários do Uber no Brasil e nos EUA acordaram neste 1º de janeiro com cobranças de centenas de reais e dólares, respectivamente, por conta de corridas curtas pelo aplicativo.

O motivo? O chamado “preço dinâmico”, que o Uber adota em momentos de demanda maior. O problema é que na noite de 31 de dezembro de 2015 para o primeiro dia de 2016 essa variação beirou o absurdo com cobranças de valores até 10 vezes maiores do que uma corrida normal pelo mesmo trajeto.

Segundo uma reportagem do G1, uma consumidora de Brasília alega ter pago 556 reais por uma corrida pelo Uber no Ano Novo. Ela diz ainda que o aplicativo não informou exatamente quanto a corrida custaria e que esse mesmo trajeto normalmente custaria 65 reais pelo próprio Uber.

O Uber, por sua vez, alega que todos os consumidores são alertados sobre o preço dinâmico antes de pedirem a corrida e nega existir qualquer irregularidade nos valores.

EUA

Nos EUA, foram muitos os casos parecidos com o da consumidora de Brasília, conforme reportagem do BuzzFeed. De acordo com o site, o jornalista Brian Stelter, da CNN, até usou seu Twitter para alertar os usuários sobre o preço dinâmico com variação 10 vezes maior do que o valor normal na região de Miami durante a noite de Ano Novo.

Além disso, alguns usuários do Uber nos EUA relatam casos mais graves, dizendo que concordaram com um preço dinâmico de 3,5X, por exemplo, para depois serem cobrados com base em um valor muito maior, como 8,5X, fazendo com que uma corrida de 20 dólares custe, na verdade, 225 dólares. Um aumento e tanto com base apenas na demanda maior, já que o trajeto é exatamente o mesmo.

Com isso, muitos usuários em ambos os países usaram as redes sociais para criticar o Uber e dizer que estavam desinstalando o aplicativo para não usá-lo mais.

A lição que fica é evitar ao máximo usar o Uber com o chamado preço dinâmico quando a variação fica muito alta. Caso contrário, uma simples corrida com o app pode ficar mais cara do que uma passagem de avião, por exemplo.