LinkedIn: poupe tempo de reuniões com a busca inteligente móvel

Caitlin McGarrry, TechHive.com
04 de julho de 2013 - 09h10
Na terça-feira (2/7) a rede social liberou atualização que permite aos usuários realizar busca móvel por empresas, grupos e trabalhos em vez de somente pessoas

Cuidado, Facebook. O LinkedIn pode estar de olho no ramo de networking profissional agora. Mas a empresa, de 10 anos de idade ,está correndo para adicionar recursos melhores e mais conteúdo com foco em mobilidade, que posiciona a rede como novo competidor para muitos dólares de anúncios.

Há alguns meses, o LinkedIn reformulou seus aplicativos para iOS e Android, o que que transformou a rede social em uma experiência mais leve para smartphones. Mas os aplicativos continuaram sem alguns recursos web, como resultados de pesquisa avançada. 

Na terça-feira (2/7) a rede social liberou uma atualização que permite aos usuários realizar uma busca móvel por empresas, grupos e trabalhos em vez de as pessoas apenas.

Os novos recursos aparecerão em guias separadas, de modo que o usuário pode procurar por uma empresa dentro de diferentes categorias para obter diferentes tipos de resultados. Uma busca por "TechHive" na aba "People"  irá retornar em funcionários, e a mesma busca em "Jobs" retornará posições em aberto.

A empresa está transformando seus aplicativos em produtivos "poupa-tempos", com maneiras de "obter o valor mais profissional em momentos banais", disse o chefe de produto móvel do LinkedIn, Tomer Cohen, em um post no blog.

A busca por dominação social
As redes sociais estão competindo para oferecer melhores resultados de pesquisa, enquanto as ferramentas de busca estão tentando se tornar mais sociais - mas esses esforços raramente se traduzem em esforços móveis. Demorou meses para que o LinkedIn trouxesse seus recursos avançados de pesquisa do desktop para os seus apps.

Mas a rede traçou um nicho que outros sites simplesmente não têm, passando de um site de currículo à rede profissional de pleno direito, ao longo de 10 anos.

O LinkedIn agora tem mais de 225 milhões de usuários e foi aumentando os esforços para crescer (e ganhar dinheiro) nos últimos dois anos,  desde seu IPO.

Além da pesquisa, o movimento mais significativo do LinkedIn neste ano foi a aquisição da startup de agregação de notícias Pulse. A rede usa essa compra para aumentar seu foco em conteúdo.

Conteúdo original, melhores resultados de busca, e um feed cheio, não apenas com seus amigos, mas de pessoas que podem realmente ajudá-lo. Bem...o LinkedIn está prestes a se tornar uma rede social com o propósito real.