Mercado de chipsets para celulares crescerá 35% até 2014 no mundo

Redação da Computerworld
08/01/2010 - 17h20
Os números são reflexo, por exemplo, da expansão de telefones celulares, que só no ano passado ultrapassaram a casa de 1 bilhão de aparelhos.

O mercado de chipsets para aplicações banda larga em celulares deve crescer no mundo 35% até 2014, segundo a consultoria IDC. Os números são reflexo da expansão de telefones celulares, que só no ano passado ultrapassaram a casa de 1 bilhão de aparelhos, e do uso de chipsets para outros tipos de dispositivos móveis, além de notebooks.

De acordo com a IDC, outros fatores levarão a essa expansão, como a crescente demanda pelos chipsets em setores como saúde, comunicação entre máquinas, indústria automotiva, além de outros produtos de consumo, como os leitores eletrônicos. Os computadores portáteis, no entanto, serão responsáveis pela maior parte do crescimento do segmento e ajudarão a acelerar a migração para as tecnologias 3,5G e 4G.

Os líderes do setor, como Huawei, Sierra Wireless, Cinterion, ZTE, Option e Novatel se beneficiarão com o crescimento e terão o desafio de projetar, produzir e certificar módulos que atendam a demanda de aplicações que está por vir.

Os primeiros aparelhos compatíveis com o padrão LTE (Long Term Evolution), uma das tecnologias apontadas pelo mercado como a próxima geração de telefonia móvel, devem começar a chegar ao mercado a partir de 2011. De acordo com a IDC, poucos fornecedores de chipsets dominam o mercado de banda larga para dispositivos móveis. Hoje, o setor é dominado pela pela Qualcomm, ST-Ericsson e Infineon.