Redação do IDG Now!" />

Presidente da Telefônica diz que não sabe motivo de pane no Speedy

Redação do IDG Now!
03/07/2008 - 20h12
São Paulo - Em entrevista à rádio CBN, nesta quinta-feira (03/07), Antônio Carlos Valente, diz que não há previsão de retorno do serviço.

Há mais de 20 horas do início de uma pane no serviço Speedy, que deixa boa parte de seus 2,2 milhões de usuários sem acesso à internet - especialmente órgãos públicos e corporações - no Estado de São Paulo, o presidente da empresa, Antônio Carlos Valente, declarou que a operadora ainda não sabe o que está provocando o problema.

"Aparentemente é um problema extremamente complexo e raro", disse Valente, em entrevista à rádio CBN, na noite desta quinta-feira (03/07). O executivo informou que ainda não há previsão para o restabelecimento do serviço, e não chegou a revelar o porcentual de usuários afetados pelo problema na rede de acesso em banda larga.

Leia também:
> Metade do Governo de SP fica sem rede
>
Idec: usuário deve ser ressarcido
> Veja nota oficial da Telefônica
> CBN Tecnologia: ouça comentário sobre a pane

O presidente da Telefônica explicou que técnicos da operadora e de fornecedores de equipamentos trabalham para identificar a falha e se desculpou, publicamente, em nome da empresa. "Nós lamentamos profundamente o que está acontecendo. Pedimos desculpas aos nossos clientes, especialmente aos clientes das grandes empresas, estamos tentando de todas as formas identificar o problema e restabeler o sistema o mais rápido possível."

Questionado pela reportagem da CBN sobre um plano de contingência para evitar a pane, Valente respondeu que a complexidade do problema também afetou o plano B. "Nós sempre temos as redes contingenciadas, mas como eu disse é um problema complexo e raro e também nossos sistemas de contingência foram afetados."

Segundo o Idec e outros órgãos de defesa do consumidor, a Telefônica é obrigada a ressarcir os usuários afetados pelo tempo que ficaram sem o serviço. Sobre esta questão, o executivo disse à CBN que a prioridade da empresa é identificar o problema. "(...) A única coisa que posso dizer nesse momento é que essa é nossa prioridade. E que também a Telefônica é uma empresa que conhece perfeitamente as suas obrigações e as regras que tem de seguir."

Esta não é a primeira vez que o Idec faz a recomendação sobre ressarcimento aos usuários do Speedy. Em 2006, o serviço de banda larga da Telefônica também ficou algumas horas fora do ar, mas em menor proporção do que a pane atual.

"Um problema como esse que estamos vivendo agora nós nunca tínhamos vivido e muito menos temos conhecimento no mundo que outra empresa esteja vivendo uma situação semelhante.", observou Valente.