Daniela Moreira, repórter do IDG Now!" />

Rede 3G: saiba quais são as vantagens para celulares

Daniela Moreira, repórter do IDG Now!
07/11/2007 - 07h00
São Paulo - Terceira geração abre caminhos para downloads mais rápidos e acesso mais amplo à internet a partir do celular.

3g_88Após um longo período de indefinições e adiamentos, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) marcou para 18 de dezembro o leilão das faixas de 1,9 GHz e 2,1 GHz para a implementação da terceira geração de celular no Brasil. Na prática, a estréia das redes 3G - como é mais conhecido o padrão - marca a chegada em peso da banda larga ao celular dos brasileiros, abrindo portas para downloads mais rápidos e acesso mais amplo à internet a partir do telefone móvel.

Velocidade é o principal benefício oferecido pela terceira geração de telefonia celular. As redes 3G garantem uma velocidade de tráfego de dados em média 15 vezes maior que as atuais. A tecnologia mais popular atualmente para a oferta de serviços de 3G (uma combinação do WCDMA/UMTS - evolução do GSM - com a tecnologia voltada a acelerar downloads HSDPA), permite chegar a 800 Kilobits por segundo (Kbps) de velocidade média de conexão, enquanto o GPRS - tecnologia mais utilizada hoje em celulares GSM - suporta uma média de 50 Kbps.

Saiba mais sobre celulares:
> 6 coisas que você vai ter no celular
> Você já viu fotos do 1º celular? Clique aqui
> Fotos: 10 celulares bonitos
> Conheça o Serenata, o rival do iPhone
> Veja mais rivais do iPhone

Segundo o cronograma estabelecido pela Anatel, cerca de 3,6 mil municípios em todo o País terão cobertura do serviço 3G em até oito anos. Mas na opinião do analista Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco, os serviços de terceira geração podem chegar a alguns consumidores ainda neste ano, caso a Anatel também libere a faixa de 850 MHz, antes destinada à tecnologia TDMA, para a oferta de 3G.

Neste caso, operadoras como a Claro e a Telemig, que já têm redes prontas para a oferta de 3G em testes, podem lançar os serviços comercialmente ainda em 2007 ou no início do próximo ano, segundo Tude. A agência já sinalizou ser favorável ao movimento, que foi colocado para avaliação em consulta pública no início deste mês.

Atualmente, a Vivo é a única operadora a prestar serviços 3G no País, utilizando a tecnologia EV-DO (evolução do CDMA e concorrente do GSM), porém a oferta é restrita a apenas 27 municípios. Com o leilão de freqüência previsto para o próximo o mês, a expectativa é que a cobertura seja estendida a todo o País, chegando inclusive a locais onde hoje não há telefonia celular.

Uma das exigências do edital é que as empresas serão obrigadas a cobrir todos os municípios com menos de 30 mil habitantes da área em que adquirirem espectro - o território nacional foi dividido em 11 regiões para o leilão - em até dois anos depois da assinatura dos contratos, ou seja, até o início de 2010.

Além da universalização, o leilão da freqüência para implementação de 3G vai permitir às operadoras trabalhar com um maior espectro, desafogando suas redes atuais. Ao trabalhar com um espectro mais amplo, as teles poderão oferecer planos de minutos mais vantajosos em preços para os clientes, sem sobrecarregar a rede, na avaliação de Tude.

Outra tendência é a de que, com redes mais rápidas, os usuários consumam mais serviços que exigem maior banda, como vídeo, downloads, serviços de localização e mapas e a própria navegação na internet.

Com mais serviços multimídia disponíveis, aumenta a necessidade de aparelhos mais atuais. “Para aplicações muito simples, a rede 3G não faz tanta diferença, portanto os modelos mais avançados devem experimentar crescimento”, aponta Tude. A Anatel já homologou sete modelos de celulares 3G para serem vendidos no Brasil - um da LG, cinco da Nokia e um da ZTE.

Além dos próprios celulares, as operadoras poderão atuar como provedores de serviços de banda larga para computadores, concorrendo com os provedores tradicionais, como já fazem as teles que prestam serviços 3G em todo mundo.

A oferta consiste no aluguel ou na venda de aparelhos de modem que utilizam a rede celular para se conectar à web. O usuário normalmente paga por um plano com um determinado volume de dados trafegado mensalmente. A Vivo já possui uma oferta neste modelo, o Vivo Zap, que custa a partir de 49,90 reais, para um plano de 250 Megabytes (MB).

Mas, para Tude, a própria operadora deve apostar na combinação WCDMA/HSDPA, agora que tem sua própria rede GSM, incentivando a migração dos usuários do EV-DO para a tecnologia de terceira geração concorrente.

A projeção é de que, em 2010, as vendas mundiais de celulares 3G atinjam 500 milhões de unidades, superando pela primeira vez as vendas de aparelhos 2G, que ficarão na casa dos 400 milhões de unidades vendidas, segundo a consultoria internacional Strategic Analytics.