Microsoft processa Motorola por violação de patentes com o Android

IDG News Service/Seattle
01/10/2010 - 17h33
Dona do Windows Phone 7 apresentou queixa à Justiça e à Comissão Internacional de Comércio dos EUA; nove patentes teriam sido violadas.

A Microsoft apresentou queixas à Comissão Internacional de Comércio e à Justiça dos Estados Unidos contra a Motorola nesta sexta-feira (1.º/10), numa indicação de que a gigante do software pode usar seu amplo acervo de patentes para distanciar seu sistema móvel dos concorrentes.

A Microsoft afirmou que os celulares Android, da Motorola, infringem nove patentes, incluindo algumas que aparentemente ameaçariam a maioria das plataformas de smartphone. Android é o nome do sistema operacional de código aberto construído pela rival Google.

Algumas das patentes parecem estar relacionadas ao Microsoft Exchange Active Sync, que sincroniza e-mail, agenda e contatos entre um celular e um programa de computador, de acordo com mensagem de blog publicada pelo conselheiro-geral da Microsoft, Horacio Gutierrez.

Outras patentes envolvem tecnologias que exibem intensidade do sinal e nível de carga da bateria em celulares.

Caso HTC
Os processos não chegam a surpreender. No começo deste ano, a HTC anunciou ter licenciado patentes da Microsoft associadas a seus celulares Android. As empresas não revelaram quais tecnologias eram cobertas pelas patentes. À época, a Microsoft disse que estava em negociação com outros fabricantes de celulares com Android.

Questionada sobre os processos, a Motorola ainda não se manifestou.

Os primeiros celulares com o novo sistema móvel da Microsoft têm lançamento previsto para este mês. A empresa afirmou que um dos benefícios de usar seu software Windows Phone 7, em comparação com outros sistemas livres como Android ou Symbian, é que ela tem um grande portfólio de patentes e pode proteger os fabricantes de celulares de ameaças.

“A Microsoft assegura aos licenciados de seu Windows Phone 7 proteção contra processos de infração de patentes”, afirmou a empresa recentemente. “Nós resguardamos nossos produtos e assumimos nossa responsabilidade para garantir os direitos de propriedade intelectual necessários.”

(Nancy Gohring)