Microsoft tenta bloquear acordo entre Google e Yahoo no Japão

IDG News Service/San Francisco
30 de julho de 2010 - 18h35
Empresa, que em outros países é parceira da Yahoo, alega que concentração excessiva no mercado de buscas será nociva ao mercado local.

Uma batalha legal está tomando corpo no Japão entre a Microsoft e a Google. Motivo: o controle do lucrativo mercado de buscas japonês.

A Microsoft tentará convencer as autoridades antitruste daquele país de que o acordo de publicidade fechado no começo desta semana entre a Google e a Yahoo Japão será nocivo à concorrência, informou a empresa nesta sexta-feira (30/7).

A dona do buscador Bing expressou preocupação sobre o acordo assim que ele foi anunciado, na terça-feira (27/7). A empresa argumentou que o negócio dá à Google controle excessivo sobre os mercados de busca e de publicidade em buscas no Japão.

Segundo os termos do acordo, o motor de buscas da Google será usado para fornecer resultados para mais de 90% das buscas efetuadas no Japão.

Provas
“Nós planejamos apresentar provas à comissão antitruste japonesa e explicar por que acreditamos que este acordo é substancialmente mais nocivo à concorrência que o acordo anunciado em 2008, nos EUA, entre Google e Yahoo, e que foi considerado ilegal pelo Departamento de Justiça”, anunciou a Microsoft, em um curto comunicado.

Sob o acordo, a Yahoo Japão substituiria o motor de buscas da Microsoft pelo da Google, para abastecer seu serviço de busca. A Yahoo Japão também usaria a plataforma de publicidade em buscas da Google.

A Microsoft tem um amplo acordo de buscas e publicidade com a Yahoo em outras partes do mundo. Mas ele não abrange a Yahoo Japão, que é controlada majoritariamente por uma empresa japonesa, a Softbank.

A Microsoft disse que o acordo dará à Google “controle quase absoluto” dos mercados de busca e de publicidade em buscas do Japão. Ela o comparou com uma parceria que a Google tentou estabelecer com a Yahoo há dois anos na América do Norte. O negócio teve de ser abandonado porque o Departamento de Justiça afirmou que ele provavelmente seria ilegal.

Acordo diferente
A Google insiste que o acordo japonês é diferente. Apesar de a Yahoo Japão usar a plataforma de publicidade da Google, não será a Google que oferecerá os anúncios, informou a empresa. E a Yahoo Japão será capaz de personalizar os resultados de busca da Google e continuará a competir como uma empresa independente, alegou.

De acordo com notícias divulgadas em Tóquio, os reguladores governamentais disseram que a Google os procurou antes de anunciar o acordo. Os representantes do governo disseram não ter visto problemas, já que as empresas continuarão a comandar seus negócios de forma independente, informou o Wall Street Journal.

Mas a Microsoft sugeriu, em um post em seu blog, que os reguladores japoneses aprovaram o acordo sem consultar anunciantes, editores e competidores para se informar como a competição poderia ser afetada. O que a Microsoft busca agora é que a agência considere sua decisão.

(James Niccolai)