Novos smartphones da Palm não emplacam

Computerworld/EUA
26/02/2010 - 08h33
Analistas temem pela sobrevivência da empresa, que anunciou que suas vendas ficarão bem abaixo do previsto.

Analistas do mercado de tecnologia temem que a Palm não consiga sobreviver mais um ano. A previsão pessimista se deve ao anúncio feito ontem (25/2) de que as vendas de seus smartphones ficarão “bem abaixo” das expectativas iniciais.

As previsões iniciais de receita total para o ano fiscal eram entre 1,6 bilhão e 1,8 bilhão de dólares. De acordo com a companhia, a adoção pelo mercado de seu sistema operacional webOS e de seus aparelhos Palm Pre e Pixi está demorando mais do que o esperado.

O anúncio fez com que as ações da companhia caíssem inicialmente 17%, além de levantar a questão preocupante sobre a longevidade da empresa. Segundo analistas consultados, o atual cenário aponta para possibilidades (para até o final do ano) como a venda da empresa ou a busca de novos fundos com a Elevation Partners (que já colocou mais de 400 milhões de dólares desde 2007), entre outras opções.

A venda da Palm é uma possibilidade que tem sido citada com frequência nos últimos anos, mas um analista aponta dificuldades nesse negócio: "Os melhores candidatos seriam empresas chinesas ou japonesas que queiram entrar no mercado de smartphones. Mas, sendo realista, o que exatamente eles comprariam, neste caso?”, afirma Jack Gold, da J. Gold Associates. Segundo ele, as chances de a Palm aguentar são de cerca de 50%, em sua opinião.

Segundo o Gartner, a Palm terá apenas 1,4% do mercado de smartphones em 2012, participação que o instituto classifica como situação de “sobrevivência muito difícil”.