News Corp. negocia participação no Yahoo, diz Wall Street Journal

Computerworld/EUA
14/02/2008 - 09h29
Framingham - Pelo acordo, a News Corp., dona da rede social MySpace, ficaria com uma fatia de mais de 20% no Yahoo, segundo a reportagem.

A News Corp. está conversando com o Yahoo sobre a possibilidade de combinar a rede social MySpace e outras propriedades virtuais do grupo às operações do Yahoo, em uma tentativa de sabotar a aquisição da empresa pela Microsoft, reportou o Wall Street Journal na quarta-feira (13/02).

Pelo acordo, a News Corp. ficaria com uma fatia de mais de 20% no Yahoo, segundo a reportagem, que cita fontes familiares à negociação.

Mais sobre Microsoft e Yahoo:
> Especial: tudo sobre o acordo
> Microsoft mira Yahoo para enfrentar Google
> Opinião: Marcelo Coutinho avalia o negócio
> Blog: leia a carta de Ballmer para o Yahoo
> Enquete: o que você acha do negócio? Vote
> Ações do Yahoo sobem 50%
> Blog: AOL Time Warner 2.0?
> Ballmer: alternativa para enfrentar o Google

O acordo impediria a Microsoft de adquirir o Yahoo e daria à News Corp. o controle de uma série de propriedades na web e mercados de anúncios. Na segunda-feira, o conselho do Yahoo recusou a oferta da Microsoft, dizendo que ela subestimava o valor da empresa.

O acordo entre o Yahoo e a News Corp., que é dona Wall Street Journal, também incluiria dinheiro da News Corp. e de uma empresa de investimento, segundo a reportagem.

O acordo é similar ao que as empresas discutiram ao longo doa últimos 18 meses, mas as conversas não foram pra frente por desentendimentos sobre o valor do MySpace. A News Corp. deve avaliar o MySpace entre 6 bilhões de dólares e 10 bilhões de dólares, segundo o Journal.

Mesmo não respondendo diretamente à matéria, um porta-voz do Yahoo disse em um e-mail: “Nosso conselho continua a avaliar cuidadosamente suas opções estratégicas e está comprometido em buscar iniciativas para maximizar valor para os acionistas”.

A News Corp. não pode ser localizada para comentar a reportagem e a Microsoft se recusou a falar sobre o assunto.

Linda Rosencrance, editora do Computerworld, de Framingham