Microsoft exigirá royalties de usuários e desenvolvedores de Linux

Sumner Lemon, para o IDG Now!*
14/05/2007 - 10h35
Cingapura - Em entrevista à revista Fortune, executivo da MS afirma que softwares de código aberto infringem 235 de suas licenças.

A Microsoft quer que usuários de software de código aberto paguem royalties em 235 supostos casos de quebra de patente, segundo notícias.

Em entrevista à revista Fortune, Brad Smith, conselheiro geral da Microsoft, e Horacio Gutierrez, vice-presidente de propriedade intelectual e licenças da empresa , disseram que softwares livres, incluindo em Linux, violam 235 patentes da companhia. E a Microsoft quer que distribuidores e usuários desses programas comecem a pagar royalties por essas supostas violações.

“Não é o caso de algumas infrações acidentais. Há um grande número de patentes sendo quebradas”, disse Gutierrez.

Executivos da empresa em Cingapura não estavam disponíveis imediatamente para comentar o artigo.

Smith detalhou as supostas violações na entrevista à Fortune, dizendo que o kernel do Linux infringe 42 licenças e a interface do usuário do sistema operacional, outras 65.

Ele prosseguiu, dizendo que a suíte de aplicações OpenOffice infringe 45 patentes e aplicações de email de código aberto, outras 15; outras aplicações de software de código aberto violam mais 68 patentes, disse Smith.

A Microsft tem formado uma base de acusações de quebra de patente contra o Linux e softwares de código aberto há algum tempo. A empresa assinou recentemente um acordo com a Novell que indenizaria a companhia contra as acusações da Microsoft envolvendo Linux. Na semana passada, a Dell entrou no acordo, se tornando a primeira vendedora de hardware a fazer isso.

A Microsoft fez outros acordos com fabricantes de hardware. Em abril, a Samsung e a empresa assinaram um acordo de compartilhamento de licença que inclui uma cláusula que indenizaria a Samsung contra acusações de quebra de patente envolvendo Linux.

*Sumner Lemon é repórter do IDG News Service, em Cingapura.