Google descobre novo vazamento que afetou 52 milhões de usuários do Google+

Da Redação
11 de dezembro de 2018 - 09h00
Descoberta fez companhia acelerar o processo de encerramento da rede social para abril de 2019

O Google vai antecipar o fechamento definitivo da rede social Google+ após descobrir nova falha de segurança que expôs dados de 52,5 milhões de usuários. O adeus à rede social se dará em abril em 2019. 

Entre os dados expostos estão nomes, endereços de e-mail, emprego e idade dos usuários. Segundo comunicado do Google, tais dados ficaram expostos a desenvolvedores por um erro do sistema do Google+, mesmo nos casos onde as contas eram configuradas como privadas. 

O Google havia anunciado, pela primeira vez, que iria encerrar o Google+ em outubro deste ano após descobrir um vazamento que comprometeu dados de 500 mil usuários. Na ocasião, informou que o processo de desligamento iria levar cerca de 10 meses, ou seja, até agosto de 2019. Agora, usuários têm um deadline mais apertado para fazer a transição dos seus dados.

O primeiro vazamento anunciado neste ano foi descoberto em março de 2018 e ficou sem ser revelado até outubro. Vale ressaltar, entretanto, que o novo vazamento afeta uma base muito maior de usuários - de 500 mil para 52,5 milhões. 

No novo vazamento, as informações ficaram expostas entre 7 de novembro, quando o Google lançou uma atualização com o erro e o dia 13 do mesmo mês, data em que o problema foi detectado e corrigido.

"Com a descoberta deste novo erro de software, decidimos acelerar o encerramento do Google+ de agosto para abril de 20019", escreveu o vice-presidente de Gestão de Produto do Google, David Thacker. "Apesar de reconhecermos que há implicações para os desenvolvedores, queremos garantir a proteção de nossos usuários. Começamos o processo de notificar os afetados pela decisão", acrescentou.