Facebook abre inscrições para programa de aceleração de startups de impacto social

Da Redação
06 de dezembro de 2018 - 15h05
Inscrições para seleção do programa em parceria com a Artemisia encerram no dia 10 de dezembro

O Facebook anunciou a abertura das inscrições para a terceira turma do programa de aceleração para startups de impacto social da Estação Hack, primeiro centro para apoio à inovação do Facebook no mundo, localizado em São Paulo. O programa é realizado em parceria com a Artemisia – organização pioneira no apoio a negócios de impacto social no Brasil. As inscrições devem ser feitas pelo site até 10 de dezembro.

O principal requisito para empreendedores e empreendedoras de todo o país participarem é que tenham desenvolvido startups inovadoras com potencial de melhorar a vida das pessoas e das cidades onde vivem, com soluções voltadas para: 1) talentos e profissionais do futuro ou 2) cidades inclusivas e sustentáveis. Também é importante ter, ao menos, protótipo ou produto em fase de testes no mercado ou ser uma empresa que tenha produto lançado e que busque rápido crescimento. 

Nesta terceira etapa, serão escolhidas 10 novas startups de impacto social para um trabalho intensivo de aceleração de negócios dentro da Estação Hack, que já apoiou outros 20 empreendimentos nas edições anteriores. 

Ao longo do programa, neste ano, muitas startups conquistaram resultados estratégicos. A Redação Online, cresceu 150% no mercado B2C e 80% no mercado B2B e aproveitou o ambiente de inclusão e empreendedorismo da Estação Hack para aumentar a sua área de tecnologia, contratando ex-alunos dos cursos de programação oferecidos gratuitamente a jovens de baixa renda no espaço. Também fechou uma parceria com outro negócio acelerado, apoiando a melhora das redações dos candidatos às vagas da TAQE, que oferece oportunidades de emprego e busca colaborar para a preparação para o mercado de trabalho. A Pluvi.On, que gera alertas antecipados e em tempo real sobre eventos climáticos extremos, foi a primeira startup brasileira a ser convidada para fazer parte da plataforma United Smart Cities LAB, que visa criar indicadores para cidades inteligentes com base nos Sustainable Development Goals da ONU.

“O trabalho realizado com as primeiras turmas é extremamente positivo, e o resultado obtido mostra como a troca de ideias e o conhecimento entre os empreendedores e alunos dos cursos de programação oferecidos no centro podem ajudar na criação de um ambiente de inovação. Queremos nesta nova rodada mais negócios que compartilhem a ideia de que a tecnologia e o impacto social podem trazer maiores benefícios para o desenvolvimento social do país. Acreditamos que empreendedores com essa preocupação colaboram para a solução de desafios atuais, contribuindo para a sociedade hoje e no futuro", afirma o diretor da Estação Hack, Eduardo Lopes.