Ações de empresas de tecnologia derrubam as bolsas e anulam ganhos de 2018

Da Redação
20/11/2018 - 20h45
O Dow Jones Industrial Average e o S&P 500 caíram acentuadamente hoje e ficaram negativos no ano, por causa do péssimo desempenho de Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Google-Alphabet

O Dow Jones Industrial Average e o S & P 500 caíram acentuadamente na terça-feira e ficaram negativos no ano, uma vez que as ações da Target pressionaram os varejistas, enquanto algumas das mais populares ações de tecnologia caíram novamente.

O estoque de 30 ações da Dow caiu 551,80 pontos, para 24.465,64, e o S & P 500 caiu 1,8%, para fechar em 2.641,89. O Dow e o S & P 500 subiram 1,2 por cento e 0,6 por cento, respectivamente, para 2018, entrando na terça-feira. Enquanto isso, o Nasdaq Composite também caiu 1,7 por cento, para 6.908,82, mas conseguiu manter um ligeiro ganho para 2018.

Nesta segunda-feira, o índice Dow já havia caído 395 pontos. Hoje, ações do Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Google-Alphabet fecharam em baixa, abaixo de 20% de suas máximas de 52 semanas. O S&P 500 e o Nasdaq caíram 1,7% e 3%, respectivamente, na segunda-feira, enquanto o índice Dow Jones caiu 1,4%.

A Apple tem liderado a queda nas ações das empresas de tecnologia. Os investidores temem que as vendas do principal produto da empresa, o iPhone, desacelerem. Por essa razão, hoje a Goldman Sachs reduziu sua meta de preço, observando que “além da fraqueza na demanda por produtos da Apple na China… também parece que a relação custo/benefício do iPhone XR pode não ter agradado.”

Ontem, as ações da Apple já haviam caído 4%, depois que o "Wall Street Journal" publicou que a empresa cortou nas últimas semanas encomendas de produção de todos os três modelos de iPhone lançados em setembro.

As ações do Facebook também seguem em queda desde a semana passada, após reportagem do "New York Times" colocar em dúvida a lisura da empresa ao lidar com as críticas pós-escândalo da Cambridge Analytics, na imprensa e no Congresso americanos.

Nos últimos 50 dias, as ações do Facebook, da Netflix e da Alphabet (controladora do Google) caíram abaixo de suas cotações médias de 200 dias atrás.  

imagem1

imagem2