Os 3 principais golpes que tentam enganar consumidores na Black Friday

Da Redação
08 de novembro de 2018 - 15h00
Especialista da DNPontoCom dá dicas de como comprar com segurança e não entrar numa fria na ação promocional mundial

Muitos brasileiros e varejistas apostam na Black Friday, que neste ano acontece no dia 23 de novembro, para conseguir boas ofertas e aumentar suas vendas. Essa ansiedade dos consumidores costuma congestionar os sites e entre todo esse caos online, golpes cibernéticos fazem sua parcela de vítimas desatentas. 

Segundo especialistas da DNPontocom, agência especializada em segurança digital e tecnológica, algumas dicas são importantes para que os clientes possam comprar com segurança e evitar fraudes no período. Muitas delas vêm 'disfarçadas' e os clientes não percebem que estão sendo lesados. Na lista abaixo, Daniel Nascimento, especialista em segurança digital e CEO da empresa listou os principais golpes e os casos mais frequentes. Confira:

"Metade do dobro"

A mentira pode aparecer em algumas modalidades diferentes. A mais famosa é a “metade do dobro”, quando o vendedor anuncia desconto de 50% ou mais em um produto que já foi superfaturado em 100% anteriormente. Ou seja, na verdade a venda será feita pelo mesmo preço, e de promoção só sobra o rótulo. Em outros casos, a loja pode tentar convencer o consumidor que o desconto é maior do que ele realmente é: o anúncio fala em 40%, mas a diferença fica em apenas 5%, por exemplo. É essencial fazer comparativo dos preços antes da semana especial de descontos evitando assim preços altos. 

Fique atento ao carrinho

Segundo Daniel Nascimento, há casos de golpes que alteram o preço no carrinho de compras. Ou seja, na loja o produto está como R$45,00 e quando coloca no carrinho o preço vai parar em R$90,00, o cliente deve prestar muita atenção no total da conta, conferir todos os itens e valores.

Sites falsos

Dentre os golpes utilizados na rede, o mais comum são os sites falsos, hoje em dia crackers utilizam dessa técnica para aplicar golpes em quantidade, então eles copiam o layout de uma página famosa, como: Americanas, Submarino entre outras e mudam pequenos detalhes, como na URL: em vez de ser americanas.com.br, colocam ameriicanas.com.br, em alguns casos ele utiliza a mesma logo, endereço e canais de atendimento.

Uma das dicas é acompanhar a lista de suspeitos feita pelo Procon SP, ela anuncia sites que podem estar efetuando golpes. Outra dica é antes de fazer uma compra, verificar se a loja tem reclamações em sites populares feitos para isso, como o Reclame Aqui. 

Como se prevenir dos golpes

Poucos usuários de compra on-line sabem que existe um plugin para Google Chrome “Black Friday de Verdade” próprio para checar se existe realmente um desconto. . 

A extensão exclusiva para o navegador do Google é leve (não influencia na navegação), não salva dados do usuário, só é exibido na página do produto e monitora mais de 30 lojas em todo país.

Além das dicas acima, o cliente deve acompanhar sites como: Zoom, Buscapé e outros para verificar preço das concorrentes e desconfie de preços muito abaixo das demais. Caso seja uma loja desconhecida, o conselho que fica é "evite a compra", pois é muito provável que seja falsa. Prefira comprar em sites com certificado digital, verifique se o site possuí todos os métodos de pagamento, uma das técnicas utilizadas por lojas falsas é utilizar somente boleto. Caso haja opção de cartão de crédito, só compre se checar se a loja é verdadeira e não possuí reclamações.

Ao receber e-mails, cheque a veracidade e mesmo assim pesquise sobre o produto diretamente no site da loja, não compre pelo redirecionamento do e-mail. Desconfie de descontos recebidos pelo WhatsApp e ao detectar uma fraude o especialista conclui " alerte canais do PROCON do seu estado e alerte sites de reclamações, a sua reclamação pode ajudar outra pessoa a não cair na fraude, denuncie".