Após investigação, MP diz que não houve vazamento de dados da Boa Vista SCPC

Da Redação
07 de novembro de 2018 - 09h00
Ministério Público do Distrito Federal e Territórios passou quase dois meses investigando o caso, que foi notificado no começo de setembro.

 O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) anunciou nesta semana que após cerca de dois meses de investigação chegou à conclusão de que não houve vazamento de dados da empresa de crédito Boa Vista SCPC. A investigação realizada Unidade Especial de Proteção de Dados e Inteligência Artificial, do MPDFT, concluiu que aconteceu uma invasão a um servidor de desenvolvimento publicado no ambiente de nuvem, para fins de testes, mas que esse servidor não continha dados pessoais armazenados.

Com isso, o inquérito civil público do caso foi oficialmente arquivo no último dia 31 de outubro. “Neste sentido, a Nota Técnica DIINT 934 constatou que os dados pessoais supostamente obtidos durante o ataque são oriundos de outra fonte e não do Boa Vista”, afirma um trecho do arquivamento do inquérito, assinado pelo promotor de justiça e Coordenador da ESPEC, Frederico Meinberg Ceroy.

As informações sobre o suposto vazamento de dados da Boa Vista SCPC vieram à tona no início de setembro, sendo que o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios anunciou em 4 de setembro a abertura do inquérito para investigar o caso.

Conforme uma reportagem da Folha de S. Paulo na época, o incidente teria acontecido em 2 de setembro, sendo que o coletivo Fatal Error Crew reivindicou a autoria do suposto ataque, chegando a publicar em um site de compartilhamento de códigos que conseguiu obter acesso à base de dados da empresa de crédito. 

"Não postamos nenhuma informação, de nenhum brasileiro, pois prezamos pela privacidade dos mesmos. Porém, sugiro mudarem todas suas senhas logo", diz a mensagem publicada pelo coletivo.

Na ocasião, a Boa Vista SCPC não chegou a confirmar o ataque, afirmando que estava “analisando tais fatos e, se for o caso, adotará todas as medidas técnicas e legais pertinentes”.