Google escapa de ação de US$ 1,3 bilhão no Reino Unido

Da Redação
10 de outubro de 2018 - 14h00
Grupo alega que companhia rastreava dados de navegação do Iphone sem a permissão dos usuários

Um grupo no Reino Unido que autointitula "Google, You Owe Us" (na tradução literal, Google, você nos deve), entrou com ação contra a companhia, alegando que a empresa rastreia milhões de usuários sem o seu consenso, como reportou a BBC News. Segundo a ação, cerca de 4,4 milhões de usuários de iPhone foram afetados entre agosto de 2011 e fevereiro de 2012 pelo Google e pedia 1 bilhão de libras (US$ 1,3 bilhão) em danos. Entretanto, a Alta Corte do Reino Unido bloqueou o processo. 

O The Verge lembra que não é a primeira vez que é chamada a atenção do Google sobre o que se chamou de "Solução alternativa do Safari". Esta ignorou as configurações de cookies do usuário no navegador da Apple para rastreá-los independentemente. Em 2012, a empresa pagou uma multa de US$ 22,5 milhões ao FTC, órgão de defesa do consumidor nos Estados Unidos, por “[deturpar] aos usuários do navegador Safari como evitar publicidade direcionada do Google”. Na época, a multa era a maior já cobrada pela FTC.

No caso do Reino Unido, o juiz que supervisionou o caso reconheceu o papel equivocado do Google quanto à brecha, entretanto decidiu bloquear a ação, pois julgou que não era possível dimensionar o quanto os usuários foram de fato atingidos. Apesar de que os dados obtidos poderiam potencialmente permitir ao Google faturar mais com anúncios melhor direcionados.
 
Em resposta à decisão da corte, o Google disse: "A privacidade e a segurança dos nossos usuários são extremamente importante para nós. Essa alegação não tem mérito e estamos satisfeitos que ela foi declinada". Já Richard Lloyd, que lidera o grupo que reivindicou a ação, escreveu em comunicado: "A decisão de hoje é extremamente decepcionante e deixa efetivamente milhões de pessoas sem nenhuma forma prática de buscar compensação quando seus dados pessoais são mal usados". 

Como reporta a BBC, Lloyd disse que buscará permissão para apelar contra o veredito em nome de 20 mil pessoas que assinaram a campanha.