Bolsa de criptomoedas empresariais entrará em funcionamento em novembro

Da Redação
18 de setembro de 2018 - 10h00
Bomesp é, segundo seus criadores, uma aposta para revolucionar a economia e uma alternativa a investidores

A primeira Bolsa de Moedas Virtuais Empresariais de São Paulo (Bomesp) já tem uma data estimada para chegar ao mercado. Segundo seus criadores, o marketplace dedicado exclusivamente para moedas digitais emitidas pelo mundo corporativo estreia em novembro. A ideia é que empresas, de diferentes portes, já consolidadas, possam emitir suas criptomoedas. “Com isso, a tendência é as criptomoedas passarem a ser utilizadas também no mundo real, representando uma verdadeira revolução na economia”, explica Fernando Barrueco, diretor e legal advisor (responsável jurídico) da Bomesp.

A Bomesp está sendo desenvolvida a partir do Niobium (NBC), moeda digital que teve seu ICO ( Initial Coin Offering) finalizado em fevereiro desse ano. A iniciativa explica que os ativos negociados na plataforma serão moedas empresariais, batizadas como colorful coins (Green, Blue e Gold Coins). Com a plataforma em operação, as moedas de paridade para as futuras criptomoedas empresariais serão Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH) e Niobiuns Coin (NBC). A iniciativa é liderada pela Fundação Niobium, entidade sem fins lucrativos que congrega autoridades em moedas virtuais.

O Niobium (NBC) é um criptoativo lançado por uma equipe de empresários brasileiros e austríacos, e será emitido para financiar o desenvolvimento da Bomesp e para servir, entre outras coisas, de moeda de troca para as transações entre as diversas criptomoedas negociadas na plataforma. O Niobium (NBC) está baseado no Blockchain de segunda geração, com a utilização dos smart contracts da plataforma Ethereum. 

"A Bomesp tem projeto único e pioneiro, pois se trata da primeira bolsa de criptomoedas emitidas por empresas, que podem estar no Brasil ou em outras partes do mundo. Com a Bomesp, as criptomoedas empresariais vão passar a ter utilidade no mundo físico, oferecendo utilidades e benefícios para os investidores, como promoções especiais envolvendo produtos e serviços das empresas que lançarem suas moedas digitais na plataforma”, afirma Barrueco. Seus criadores também apostam que a tecnologia ofereça funcionalidades interessantes para aqueles que veem nas criptomoedas um bom investimento.

“Qualquer empresa, associação ou organização sem fins lucrativos poderá captar recursos junto a investidores, por meio da emissão de moedas virtuais próprias, que serão distribuídas e, posteriormente, negociadas na Bomesp”, aposta Barrueco. “Será uma alternativa barata, rápida, segura e confiável para as empresas se financiarem”, completa.

Leia Mais

O que são criptomoedas e como elas funcionam?

O que esperar do Bitcoin no futuro?