Facebook Brasil desmantela rede de engajamento falso com 72 grupos

Da Redação
15/08/2018 - 10h14
Rede social informou hoje, 15/08, que tirou do ar 50 contas, 72 grupos e 5 páginas ligada ao PCSD por violarem suas políticas de autenticidade e spam

Com o título "Eliminando uma rede de engajamento falso no Brasil", o Facebook divulgou um comunicado oficial nesta quarta-feira, 15/08, informando que desmantelou uma rede de páginas, grupos e contas no Brasil associada a uma entidade chamada PCSD, que estariam dedicadas a captar seguidores e curtidas para ampliar métricas de engajamento de forma falsa "em busca de ganho financeiro".

Foram tirados do ar 72 grupos, 50 contas e 5 páginas ligada à entidade PCSD que estariam violando as políticas de autenticidade e spam do Facebook Brasil, "por encorajar e permitir a obtenção de seguidores e curtidas" com o objetivo de inflar engajamento. Quando se faz uma pesquisa pelo Google, é possível descobrir que o símbolo do grupo é um urubu e que a sigla PCSD viria da frase "pegar comunidades sem donos".

"A investigação descobriu que uma entidade identificada como PCSD, baseada no Brasil, usou uma rede de Grupos, contas e Páginas onde as pessoas podiam comprar e vender reações, seguidores e Páginas, violando repetidas vezes nossos Padrões da Comunidade. Nós não permitimos um comportamento inautêntico coordenado e estamos banindo o PCSD de nossa plataforma", descreve o comunicado.

Irregularidades em engajamento

Segundo o documento enviado aos jornalistas, o alerta de irregularidade veio do Digital Forensic Research Lab, do Atlantic Council, "que tem fornecido informações em tempo real ao Facebook sobre ameaças de abusos e campanhas de desinformação". A rede do PCSD teria sido detectada durante uma investigação sobre a falsa amplificação de Páginas políticas na recente eleição no México.

Diz o comunicado: "No Facebook, estamos investindo em pessoas e tecnologia para manter pessoas mal intencionadas e conteúdo ruim fora de nossos serviços. Temos cerca de 20 mil pessoas trabalhando em áreas de integridade, segurança e revisão de conteúdo em todo o mundo, o dobro do que tínhamos no ano passado".

No comunicado o Facebook continua explicando que "apenas no primeiro trimestre deste ano, nós removemos 837 milhões de conteúdos de spam e derrubamos 583 milhões de contas falsas em todo o mundo". Para fazer a curadoria dos problemas e detectar abusos, a rede social informa estar usando tecnologias como machine learning e inteligência artificial.