Google e Mozilla barram extensão que registrava histórico de navegação

Da Redação
06 de julho de 2018 - 19h16
Segundo engenheiro de software, o add-on Stylish registrava os históricos de navegação e outros dados dos usuários e os enviava aos seus servidores por padrão

A extensão Stylish foi retirada recentemente das lojas dos navegadores Google Chrome e Mozilla Firefox após ser revelado que ela registrava os históricos de navegação e outros dados dos usuários e enviá-los para os seus servidores por padrão. As informações são do Ars Technica.

Com mais de 2 milhões de downloads, o add-on era conhecido por permitir que os usuários realizassem mudanças visuais em sites pela web, mas parece que registrava mais dados do que o necessário para isso, conforme descoberto pelo engenheiro de software Robert Heaton.

“A Stylish envia todas as nossas atividades de navegação de volta aos seus servidores, juntamente com um identificador único. Isso permite que a sua nova dona, a SimilarWeb, conecte todas as ações de uma pessoa em um único perfil”, explica Heaton em um post no seu blog sobre as descobertas envolvendo a extensão, em que também destaca por que essa prática podia ser perigosa para o usuário. 

“E para os usuários como eu que criaram uma conta Stylish em userstyler.org, esse identificador único pode ser facilmente ligado a um cookie de login. Isso significa que não apenas a SimilarWeb possui uma cópia completa dos nossos históricos de navegação, mas também possuem outros dados suficientes para teoricamente conectar esses históricos com endereços de e-mail e identidades do mundo real.”

A diretriz de privacidade mais recente da extensão, atualizada em maio, apontava que a Stylish coletava dados das páginas de resultados de buscas e informações padrão de log do servidor web (como web request) – veja aqui.