Ranking 100 Open Startups 2018 mostra empresas próximas da inovação

Silvia Bassi - especial para o IDGNow!
05/07/2018 - 02h24
Lista anual do Movimento 100 Open Startups inclui as startups mais atraentes e as empresas mais engajadas em inovação aberta

O movimento das empresas tradicionais de buscar inovação por meio de iniciativas de corporate ventures está ganhando tração no Brasil, segundo o Movimento 100 Open Startups, plataforma que conecta grandes empresas a startups. O Ranking 100 Open Startups 2018, divulgado nesta quarta-feira (04/07) pelo movimento, em um evento realizado no CUBO, em São Paulo, mostra que o número de interações entre empresas tradicionais e startups praticamente dobrou comparado com 2017.

No evento, que incluiu a palestra de uma das pesquisadoras em empreendedorismo mais influentes do mundo, professora Saras Sarasvathy, responsável por criar o conceito de Effectuation, o fundador e CEO do movimento 100 Open Startups, Bruno Rondani, informou que no período medido foram realizados mais de 1.500 relacionamentos - criação de espaços de trabalho (coworkings), hackatons, premiações, investimentos e programas de newtworking - entre 275 startups e 243 grandes empresas. Rondani explica que a plataforma identificou pelo menos 16 tipos diferentes de relacionamentos entre empresas e startups.

O ranking anual das 100 Open Startups é resultado de um processo de avaliação que envolve aceleradoras, investidores e grandes empresas, que reconhece as startups que mais despertaram interesse em grandes instituições. Em números, o estudo envolveu 4.600 startups ativas, 9000 executivos avaliadores, 800 grandes empresas conectadas e 32 mil avaliações registradas. Participaram do ranking 451 cidades, em 35 países.

Startups e Open Corps

Para se qualificar para entrar no ranking, uma startup precisa ter se engajado nos desafios de inovação propostos pelas empresas e ter conseguido obter pelo menos três contratos ou matches com três diferentes companhias. O resultado final do estudo apresenta uma lista numerada com as 100 startups mais atraentes na visão do mercado - aquelas que conseguiram mais relacionamentos com empresas-clientes -  e prontas para investimento. Este ano, o estudo também inclui as TOP OpenCorps, destacando as dez companhias mais engajadas no relacionamento com startups (Top10) e as Top50, selecionadas entre as 800 grandes empresas participantes, e uma lista geral de startups de destaque em 24 categorias.

"Em 2018, 275 startups obtiveram pontuação para o ranking que mede o relacionamento delas com grande empresa, o que constata a consolidação deste mercado. Open Innovation já é uma realidade no Brasil e vem crescendo exponencialmente, o que é comprovado pelos números apresentados. Estamos extremamente satisfeitos em termos ajudado a fomentar no país um ambiente de colaboração que gera oportunidades reais de negócios inovadores. Há três anos, quando lançamos o primeiro Ranking era ousado pensar em encontrar 100 startups qualificadas para esse tipo de relacionamento", comenta Bruno Rondani, fundador e CEO da 100 Open Startups.

 

estudo 100 open startups 2018

 

Rondani apresentou alguns insights interessantes sobre o cenário das startups. Um deles - o da média de idade do(a)s empreendedore(a)s - mostra que startups não necessariamente são apenas para millennials: 39% dos empreendedores têm idade entre 35 e 50 anos. O ranking no entanto mostra um desequilíbrio no quesito gênero: 90% das startups de 2018 foram fundadas por homens, o pior percentual dos três anos em que o ranking vem sendo feito.

Entre os setores que se destacaram estão: varejo, agricultura, construção, serviços financeiros, alimentação e para PMEs. Já entre as tendências de crescimento identificadas estão Marketplace, Big Data, Biotech, Visão Computacional, IoT, Realidade Virtual e Realidade Aumentada. Você pode conferir o ranking completo neste link.