Contra fake news, WhatsApp financiará bolsas de estudo de até US$ 50 mil

Da Redação
05 de julho de 2018 - 17h51
Programa faz parte da maior investida do aplicativo até então contra um problema global; Na Índia, disseminação de notícias falsas motivou linchamentos com mortes

O WhatsApp anunciou nesta semana sua primeira grande iniciativa para combater fake news na plataforma, um problema que tem colocado o aplicativo como um dos principais vetores de disseminação de faltas notícias e de golpes que visam acessar informações de usuários. 

O mensageiro, que pertence ao Facebook, vai oferecer inicialmente 20 bolsas de estudo no valor de até US$ 50 mil para pesquisadores investigarem o fenômeno. A iniciativa vai priorizar os estudos que abordem fatores como motivações para as pessoas considerarem um conteúdo confiável e compartilharem no app, assim como a influência do WhatsApp durante as eleições.

Segundo informações do jornal Estado, a companhia busca minimizar a circulação de boatos no mensageiro com a ajuda desses pesquisadores ao mesmo tempo que precisa ter certeza que não fere a privacidade dos dados. Esse trabalho em conjunto deve, inclusive, resultar em novos recursos dentro do aplicativo. 

Um problema maior

O WhatsApp conta atualmente com mais de 1,5 bilhão de usuários no mundo. No Brasil, são 120 milhões. Dada a sua dimensão e alcance, a plataforma tem sido vista por cibercriminosos como um canal ideal para a propagação de malware. Da mesma forma, sua capilaridade para distribuição de notícias falsas é um bom canal para manipular a opinião pública. E com um agravante. Diferente de redes sociais como o Facebook e o Twitter, que são passíveis de rastrear conteúdo impróprio e falso, para logo denunciá-lo, o WhatsApp é um aplicativo de mensagens privadas, tornando-se difícil identificar e avaliar o alcance dos boatos. 

Na Índia, casos recentes de linchamentos com mortes foram motivados pela disseminação de informações falsas via WhatsApp. O governo local exigiu que a companhia se posicionasse mais ativamente. 

 “Assim como o governo da Índia, estamos horrorizados com esses atos de violência e queríamos responder rapidamente às questões muito importantes que vocês levantaram. Acreditamos que as notícias falsas, desinformação e disseminação de boatos são mais bem combatidos de forma coletiva: com governo, sociedade civil e empresas de tecnologia trabalhando juntos”, afirmou o WhatsApp em uma carta enviada nesta semana ao Ministério de Eletrônicos e Tecnologia da Informação da Índia, de acordo com a Reuters. 

Entre outras coisas, o WhatsApp disse que está fornecendo controles e informações para que os usuários fiquem seguros, além de planejar campanhas de segurança pública, com materiais educacionais e workshops específicos. 

Vale notar ainda que o app também testa uma função que avisa quando uma mensagem foi encaminhada e não escrita originalmente por aquele contato.

Prêmio de Pesquisa do WhatsApp

O programa de bolsas do WhatsApp oferecerá prêmios irrestritos de até US$50 mil por proposta de pesquisa. Todas as inscrições serão revistas pelo grupo de pesquisadores do aplicativo em consulta com especialistas externos. O pagamento será feito à universidade anfitriã ou à organização do candidato como uma doação sem restrições de uso.

Pesquisadores interessados em se candidatar podem obter mais informações no blog oficial do aplicativo.

> Acompanhe o IDG Now! também no Twitter, Facebook e Instagram