Mais de 5 mil transmissões piratas foram identificadas na Copa do Mundo

Da Redação
03 de julho de 2018 - 06h30
Segundo levantamento da Irdeto, Brasil foi a seleção mais pirateada, com mais de 582 streams ilegais detectados para os três jogos da fase de grupos

A empresa de cibersegurança Irdeto identificou mais de 5 mil streams ilegais redistribuindo jogos pela Internet durante a fase de grupos da Copa do Mundo de 2018. Segundo levantamento da companhia, o Brasil foi a seleção mais pirateada, com mais de 582 streams ilegais detectados para os três jogos da fase de grupos, seguido por Marrocos (561 streams) e Portugal (535 streams).

Empolgados com a Inglaterra ir mais longe na Copa do Mundo, os torcedores ingleses estão ansiosos pelas oitavas-de-finais contra a Colômbia: a Inglaterra foi o quinto time mais pirateado com 523 streams apesar de todos os jogos da Inglaterra serem exibidos em canais abertos. A Inglaterra, no entanto, foi novamente superada pela Bélgica, que ficou em quarto lugar (526 streams). O fato de a Alemanha ter uma Copa do Mundo para esquecer é enfatizado por sua falta de popularidade com os piratas, ficando fora dos dez melhores times piratas.

Rory O'Connor, Vice-Presidente Sênior de Serviços de Segurança Cibernética da Irdeto acredita que “criminosos têm como alvo conteúdos premium de esportes, como a Liga dos Campeões da Europa e Copa do Mundo e estão ganhando uma fortuna ao roubar esses direitos de transmissão, já que muitos optam pelo serviço acreditando ser mais acessível.” E completa: “Proprietários de conteúdo, que são os detentores desses direitos, e proprietários de plataforma, devem atuar juntos com o objetivo de buscar tecnologia e serviços proativos para derrubar streams em tempo real. Os criminosos que ganham dinheiro por meio dessa atividade ilegal possuem pouca consideração pelos seus espectadores e os estão expondo ao cibercrime, conteúdos inadequados e infecção por malware. Além disso, os consumidores podem sofrer penas criminais se decidirem compartilhar esses conteúdos ilegais com amigos nas redes sociais”, alerta. 

Segundo a Irdeto, os canais de mídia social, incluindo Facebook, Periscope, YouTube e Twitch, foram os principais canais para fluxos ilegais. As principais estatísticas de mídia social foram:

• 3.773 do total de 5.088 streams foram detectados nos canais de mídia social, alcançando uma estimativa de 4.292.874 espectadores.

• Portugal foi o time mais visto ilegalmente nos canais de mídia social com um número estimado de 826.660 espectadores de seus jogos.

• O jogo da fase de grupos que atraiu mais telespectadores ilegais nas redes sociais foi o Brasil contra a Suíça, com uma estimativa de 613.715 espectadores.

> Acompanhe o IDG Now! também nas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter e Instagram