Facebook volta atrás e libera anúncios de criptomoedas na rede social

Da Redação
27/06/2018 - 12h30
Entretanto, apenas anúncios e conteúdo relacionado de 'consultores pré-aprovados' poderão ser exibidos na plataforma

O Facebook voltou atrás da sua decisão de banir totalmente anúncios de criptomoedas, afinal, publicidade é um dos principais motores da companhia de Mark Zuckerberg. 

A empresa anunciou nessa terça-feira (26) que reverteu sua proibição, mas que a decisão tem algumas ressalvas. Entram apenas anúncios e conteúdo relacionado de "consultores pré-aprovados", aqueles que ofertam opções binárias e promovem ofertas iniciais de moedas (ICOs) estão fora.

Em janeiro deste ano, o Facebook anunciou a proibição dizendo que muitas empresas do setor "não estavam operando de boa fé" e que a nova política "melhoraria a integridade e a segurança de nossos anúncios e tornaria mais difícil para golpistas lucrarem com uma presença no Facebook".

Entretanto, na ocasião a rede social já havia dito que tal política seria revisitada ao longo do tempo, à medida que sua capacidade de proteger os anúncios enganosos melhorasse.

O que muda

Agora, os anunciantes passarão por um processo de inscrição para determinar sua qualificação. Os anunciantes deverão fornecer detalhes de seus aplicativos, como licenças que obtiveram, se são uma empresa de capital aberto e outras informações relevantes sobre seus negócios.

Ainda não está claro como o Facebook irá verificar essa informação, tendo em vista que o Facebook ainda continuará a pedir aos usuários para sinalizarem conteúdo e anúncio que violam suas diretrizes. 

O Facebook explica que seus novos requisitos impedirão que alguns anunciantes vendam seus negócios na rede social, mas acrescenta que sua política continua sendo um trabalho em processo.

"Ouviremos o feedback, veremos como essa política funciona e continuaremos estudando essa tecnologia para que, se necessário, possamos revisá-la ao longo do tempo”, disse Rob Leathern, diretor de gerenciamento de produtos, no anúncio do Facebook.