Para reduzir custos, Tesla demitirá 9% do seu quadro de funcionários

Da Redação
14 de junho de 2018 - 13h00
Em carta aos funcionários, Elon Musk comunicou que demissões fazem parte de esforços da empresa para obter lucro sustentável

A montadora de veículos elétricos de Elon Musk, a Tesla, irá cortar 9% da sua força de trabalho para reduzir custos. O CEO anunciou a decisão em um e-mail encaminhado aos funcionários. O documento vazado foi publicado na íntegra pela CNBC na última terça-feira (12), antes de Musk confirmar a decisão em sua conta no Twitter. 

Segundo o comunicado do empresário, as demissões dizem respeito a posições assalariadas e que as equipes da produção associadas não seriam afetadas. "Como parte desse esforço e a necessidade de reduzir custos e nos tornarmos lucrativos, nós chegamos a uma difícil decisão de demitir aproximadamente 9% de nossos colegas através da companhia", diz Musk na carta. 

Musk, entretanto, achou de bom tom garantir em sua carta de que as equipes da produção não foram incluídas na lista de cortes e que, portanto, isso "não afetará a nossa habilidade de alcançar as metas de produção do Model 3 nos próximos meses", escreveu. 

"O que nos move é a nossa missão de acelerar a transição do mundo para uma energia sustentável e limpa, mas nós nunca iremos atingir esta missão ao menos que nós demonstremos que podemos manter um lucro sustentável", argumentou o CEO.

Fato é que a Tesla tem encarado problemas para manter as metas de produção de seu mais popular veículo, o Model 3. Recentemente, Musk culpou o excesso de automação das fábricas pelo atraso e anunciou o lançamento de versões mais caras do Model 3 para "alimentar" a produção do prometido veículo.