EUA alertam aos que viajam à Rússia que seus dispositivos podem ser hackeados

Da Redação
14 de junho de 2018 - 12h00
Autoridade aconselhou norte-americanos que viajam para assistir a Copa do Mundo a não levarem seus smartphones, pois governo local poderia espioná-los

O governo norte-americano parece estar preocupado com a privacidade dos cidadãos que viajarão à Rússia para a Copa do Mundo. A principal autoridade de contra-inteligência dos Estados Unidos alertou aos norte-americanos que têm passagem marcada para o mundial que eles reconsiderem a necessidade de levar seus aparelhos eletrônicos ao país sede. As informações são da Reuters.

Em comunicado enviado a agência de notícias, William Evanina, agente do FBI e diretor do Centro de Segurança e Contra-inteligência, alerta que aqueles que planejam levar celulares, laptops, assistentes digitais ou afins, deverão saber que as informações desses dispositivos podem ser acessadas pelo governo russo ou por cibercriminosos. Segundo ele, autoridades corporativas e governamentais são as que estão em maior risco, mas cidadãos comuns não deveriam negligenciar tais conselhos.

A recomendação final? "Se você consegue viver sem o dispositivo, não leve. Se você precisa de um, leve um aparelho diferente do seu normal e remova a bateria quando não estiver usando", escreveu o oficial. 

As recomendações do agente do FBI vem em meio a uma preocupação crescente em relação à privacidade, mas também em paralelo a investigação da suposta intervenção da Rússia nos resultados das eleições de 2016, que levaram Donald Trump à presidência.