Google Chrome agora só permite extensões baixadas pela Web Store

Da Redação
12/06/2018 - 18h30
Nos próximos dias, a gigante de buscas vai apertar o cerco para barrar a instalação de extensões baixadas diretamente pelos sites dos desenvolvedores.

O Google quer aumentar o controle e aumentar a transparência e a segurança em relação às extensões disponíveis no mercado para o seu navegador Chrome. Para isso, a empresa vai mudar drasticamente a política de instalação desses softwares.

A partir de agora, os usuários só poderão instalar extensões novas e recém-publicadas que forem baixadas pela loja oficial Chrome Web Store. Com isso, não será mais possível instalar extensões baixadas diretamente pelos sites dos desenvolvedores, método chamado de "inline" pela empresa e que era usado até então por muita gente. 

“Continuamos recebendo grandes volumes de reclamações dos usuários sobre extensões indesejadas fazendo com que as suas experiências no Chrome mudem inesperadamente”, afirmou o gerente de produtos de extensões de plataformas do Google, James Wagner, no blog do Chromium. Segundo ele, “a maioria dessas reclamações são atribuídas a usos confusos ou enganosos de instalação inline nos sites”. 

A gigante de buscas revelou ainda que começará a barrar essa chamada “instalação inline” de extensões existentes a partir de sites no Chrome a partir do próximo dia 12 de setembro – a empresa irá então redirecionar os usuários para a sua loja Chrome Web Store.

A partir do Chrome 71, que tem lançamento previsto para início de dezembro, a companhia de Mountain View irá remover completamente a API do modo de instalação inline do seu navegador.