Google lança recurso que usa selfies para encontrar seu 'match' na História da Arte

Por Carla Matsu
07/06/2018 - 14h46
Recurso que viralizou há alguns meses chega, finalmente, ao app Google Arts & Culture no Brasil

O Google finalmente liberou no Brasil a ferramenta que viralizou há alguns meses e que permite usar selfies para encontrar o seu irmão ou irmã gêmea - ou algo perto disso - na vasta academia da história da arte. 

A novidade desembarca no app Google Arts & Culture que reúne milhões de obras de instituições parceiras do Google em todo o mundo, incluindo no Brasil. Sua autoestima pode variar aqui caso você se descubra parecido com uma das figuras elegantes de Tarsilla do Amaral e Gustav Klimt ou, quem sabe, algo bem mais fragmentado como um Picasso. 

O recurso pode ser uma boa para você se informar mais sobre História da Arte, mas também é uma forma do Google aplicar suas habilidades de machine learning. Isso porque a ferramenta batizada de Art Selfie usa inteligência artificial para correlacionar o rosto de uma pessoa com sua base de dados de obras de arte. 

Ao todo são mais de 1,6 mil retratos que o Google tem em seus arquivos, sendo 500 deles de acervos de museus brasileiros. O lançamento chega ao Brasil também com uma nova coleção de retratos digitalizados da Pinacoteca, que reúne mais de 80 obras capturadas com a chamada Art Camera - que oferece altíssima resolução. Segundo o Google, a Pinacoteca já é o museu com mais retratos para matches no Art Selfie.

Uma das preocupações quando a ferramenta viralizou nos Estados Unidos dizia respeito a privacidade e segurança de dados. Chegou a se questionar se o Google estaria fazendo um banco de fotos massivo com nossas constrangedoras selfies. O Google, entretanto, garante que não armazena esses dados e que sempre é preciso tirar novas fotos para tentar novas opções de coincidências representativas, uma vez que as selfies não ficam guardadas na plataforma.

Para usar o Art Selfie, você precisa baixar o Google Arts & Culture.